Resenha: O Homem Invisível

Resenha: O Homem Invisível


Autor: H.G. Wells.

Ano de Publicação: 1897.

Gênero: Romance, Ficção científica, Terror, Romance científico.

   O que você faria se pudesse ser invisível? Você já deve ter pensado em várias possibilidades do que fazer com essa habilidade, como caminhar pelas ruas sem ser visto, ouvir conversas que não devia ou até tomar vantagens com essa condição. Mas, e se não fosse tão legal assim ser invisível? A narrativa do livro de ficção científica “O homem invisível”, do mesmo autor de “A Máquina do Tempo”, H.G. Wells, traz à tona as consequências de tal fato.

   Em um dia de inverno rigoroso no começo de fevereiro, chega à pequena vila inglesa de Iping um estranho rapaz. Andando pela estação de trem todo agasalhado, vestia luvas e um grande chapéu de feltro que não deixava o seu rosto à mostra, apenas era possível ver a ponta brilhante de seu nariz.

   O estranho vai até a hospedaria mais próxima, a Coach and Horses, onde é recebido pela Sra. Hall, que, a pedido do homem, prepara um quarto bem reservado. O estranho é muito ríspido e não gosta de ser incomodado, sendo diversas vezes rude em relação a perturbações. Vários dias após sua chegada, a bagagem do homem finalmente é entregue e seu par de baús e seus vários livros vão para o quarto dele.

   A Sra. Hall percebe as várias garrafas espalhadas pelo quarto algum tempo depois, garrafas com líquidos coloridos, de formatos diferentes, de todos os tipos. Era uma enorme farmácia que faria inveja em qualquer médico. Ao ser questionado, o homem a explica que é um cientista experimental e que estava trabalhando em um experimento, e logo em seguida, sendo grosseiro, fecha a porta querendo ficar sozinho em seu quarto escuro, iluminado apenas pelo fogo baixo da lareira.

   Nas primeiras horas da segunda-feira do dia de pentecostes, a Sra. Bunting, esposa do pastor da vila, acordou com uma forte impressão de que a porta do seu quarto havia sido aberta e fechada. Após estar certa de ter ouvido passos, acordou seu marido, que prontamente pegou o atiçador da lareira. Descendo até o Hall da residência, ouviram o tinir de dinheiro e perceberam que o ladrão havia encontrado suas economias. “Renda-se” gritou o pastor chegando até o cômodo em que haviam ouvido o barulho, mas a sala estava totalmente vazia e o dinheiro havia sumido. Logo em seguida, a porta da cozinha se abriu e a Sra. Bunting virou-se vendo-a aberta, e então, a porta se fecha ferozmente, porém, certamente ninguém havia passado por ela.

   Após uma estranha sequência de eventos fantasmagóricos com as mobílias do quarto do estranho, percebido pela Sra. Hall naquela manhã, o boato do roubo chegou até a Coach and Horses. A desconfiança da dona da hospedagem foi tão grande, que ela decidiu que deveria ver o rosto do homem, o que não tinha feito até então, pois ele estava sempre enfaixado e usava grandes óculos. Depois de uma discussão um tanto acalorada, o homem finalmente decidiu mostrar a ela o que havia debaixo das ataduras.

   Começou retirando os óculos, e o nariz rosado e brilhante simplesmente caiu no chão. Alguns outros hóspedes que estavam no bar ficaram ansiosos para o que viria a seguir, indagando-se se haviam cicatrizes ou outra coisa hedionda por baixo daquele pano todo. Quando finalmente retirou o que cobria o seu rosto, ninguém viu nada. Gritos de pavor ecoaram “Um fantasma”, “Um homem sem cabeça”, o que logo fez com que um policial local viesse prendê-lo. Em seguida, o que foi visto foram roupas voando, peça por peça, até que o homem estava completamente nú e invisível. “Peguem-no, é um homem invisível!”, gritou o policial. E assim o homem estranho, estava mais uma vez sozinho e em fuga.

   O livro, a partir disso, conta mais sobre a história desse homem, seu passado, como ele se tornou invisível e quais foram os motivos para seu comportamento bastante agressivo e rude. O autor é conhecido pelas suas críticas sociais misturadas com ficção científica, podendo ser percebido logo nos primeiros capítulos, descritos acima. A curiosidade das pessoas da pequena Iping em saber mais sobre o exótico homem logo se transforma em medo, levando à tentativa de eliminá-lo, o que acontece frequentemente em nossa sociedade com o que não se encaixa em certos “padrões”. No decorrer do livro, também é possível analisar as transformações na personalidade do protagonista devido ao isolamento causado pela sua condição.

   A história vai direto ao ponto e, apesar de ser considerado um livro de terror, não deixou essa impressão tão evidente. Embora seja um livro lançado no final do século XIX, ainda pode ser considerado bastante atual.

Autor da resenha:  Rafael Welter.

Referência da imagem: https://www.planocritico.com/entenda-melhor-o-legado-de-h-g-wells-no-cinema/

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *