Sônia Guimarães

Sônia Guimarães

Atual professora do Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA). Sônia Guimarães nasceu no dia 26 de junho de 1957, em Brotas, no interior de São Paulo. Estudou exclusivamente em escolas públicas e se destacou sempre pelas suas boas notas, principalmente em matemática. Durante parte da sua adolescência, Sônia trabalhou e destinou seu dinheiro para investir em um cursinho. Ela desejava cursar Engenharia Civil e chegou a prestar Mapofei, um vestibular para as faculdades de Engenharia de São Paulo. Nesse vestibular ela não obteve resultados satisfatórios; apesar disso, passou em Física na Universidade Federal de São Carlos e decidiu cursar.

Durante sua graduação, tentou mais uma vez fazer o vestibular para Engenharia Civil, entretanto, no mesmo ano, começou a estudar Física de Materiais Sólidos e se apaixonou pela área. Logo que terminou a graduação, Sônia seguiu para o mestrado em Física Aplicada, a área trabalhada foi a elipsometria para a caracterização ótica de filmes finos (material na faixa de frações de nanômetros de espessura), apresentando a montagem de um elipsômetro fotométrico, instrumento usado para caracterizar a ótica dos filmes finos.

Assim que terminou o mestrado, Sônia foi chamada para terminar suas pesquisas na Itália. Entretanto, como na Itália não havia o sistema de Phd (pós-doutorado), ela precisaria defender sua tese em São Paulo assim que terminasse suas pesquisas. Porém, uma vez na Itália, ela conseguiu um orientador na Inglaterra e para lá seguiu, terminando seu Phd na The University of Manchester Institute of Science and Technology, ela aprofundou suas pesquisas sobre materiais eletrônicos, trabalhando com microscopia eletrônica de varredura. Em 1989, Sônia Guimarães terminou seu pós-doutorado e se tornou a primeira mulher negra a ter Phd no Brasil. Quatro anos após sua formação, em 1993, Sônia se tornou a primeira mulher a dar aulas no Instituto Tecnológico de Aeronáutica; ela é também a primeira negra da instituição e luta pela presença das mulheres e negros nas ciências exatas.

Sônia também auxiliou na fundação da Faculdade Zumbi dos Palmares, é fundadora da Federação das Religiões Afro-Brasileiras (Afrobras) e desenvolve projetos com estudantes visando a inclusão de negros nas universidades.

No ano de 2018, Sônia deu uma palestra durante a nona realização do evento Artefatos da Cultura Negra, que aconteceu na Universidade Federal do Cariri (UFCA). Durante sua palestra, Sônia falou sobre as dificuldades enfrentadas por conta do racismo e comentou sobre o anúncio da abertura de cotas para negros no ITA. Sônia disse que poderia se aposentar em agosto de 2019, porém, com o anúncio da abertura de cotas, pretendia estar presente e auxiliar os estudantes cotistas que ingressaram nesse mesmo ano, evidenciando sua dedicação sobre a inclusão de negros na instituição e repensando a possibilidade de sua aposentadoria.

 

Texto por: Mariana Carachinski.

 

Referências:

[1]Quem são as cientistas negras brasileiras? disponível em:https://brasil.elpais.com/brasil/2017/02/24/ciencia/1487948035_323512.html?rel=mas. Acessado dia 17/05/2019;

[2]Primeira professora negra no ITA, Sônia Guimarães cobra igualdade para mulheres: ‘conservadorismo já não é mais capaz de nos parar’, disponível em: https://g1.globo.com/sp/vale-do-paraiba-regiao/noticia/primeira-professora-negra-no-ita-sonia-guimaraes-cobra-igualdade-para-mulheres-conservadorismo-ja-nao-e-mais-capaz-de-nos-parar.ghtml. Acessado dia 17/05/2019;

[3]PROGRAMA CAPITAL NATURAL – Mulheres nas Ciências, disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=7-nKOwJvr8Y. Acessado dia 18/05/2019;

[4]Currículo Lattes, disponível em: http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4781039U9. Acessado dia 18/05/2019;

Avatar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *