Alan Mathison Turing (1912-1954)

Alan Mathison Turing (1912-1954)

Alan Mathison Turing foi um matemático, criptoanalista, cientista da computação britânico e considerado como o pai da computação. Foi pioneiro na inteligência artificial, no desenvolvimento da ciência da computação, na formalização do conceito de algoritmo e na computação com a máquina de Turing, desempenhando um papel importante na criação do computador moderno.

Turing nasceu dia 23 de junho de 1912 na cidade de Paddington, na Inglaterra. Filho de um oficial britânico, Julius Mathison e de Ethel Sara Turing.

Aos 15 anos Turing já resolvia problemas matemáticos complexos, sem ainda ter estudado Cálculo. Em 1931 graduou-se em Matemática com honras, pela Universidade de Cambridge. Empreendeu estudos para criar uma máquina automatizada, que materializasse a lógica humana e solucionasse qualquer cálculo representado no formato de um algoritmo, que seriam exibidos no formato de instruções a serem processadas de forma mecânica, dentro da própria máquina. A “Máquina de Turing” se tornou um protótipo dos computadores modernos [1].

Sua trajetória de sucesso começou durante a II Guerra Mundial, quando trabalhou para a inteligência britânica num centro especializado em quebra de códigos. Alan desenvolveu um sistema chamado “bombe”, para traduzir os textos secretos dos alemães, gerados por máquinas de criptografia chamadas de “Enigma”. A bombe traduzia comunicações codificadas pela Enigma, transformando-as em uma mensagem verdadeira e compreensível  [2].

Porém, seu grande feito foi a criação da Máquina de Turing. Uma invenção automática capaz de manipular símbolos em uma fita de acordo com uma série de regras para guardar informação, exatamente como os computadores fazem hoje em dia. Turing desenvolveu conceitos de algoritmo – uma receita que mostra passo a passo os procedimentos necessários para a resolução de uma tarefa – e computação [3].

Alan Turing desenvolveu ainda o Teste de Turing, criado com o objetivo de verificar se o computador é capaz de imitar e pensar como o cérebro humano, ou seja, uma espécie de inteligência artificial com possibilidade de enganar qualquer um. O teste consistia uma série de perguntas para o computador, com o objetivo de diferenciar se a resposta dada pelo sistema foi elaborada pelo ser humano ou pela máquina [2].

Em 1952 Turing foi perseguido, humilhado em público e impedido de acompanhar estudos sobre computadores, por ser homossexual numa época que isso era considerado uma doença na Inglaterra.

Alan Turing faleceu no dia 7 de junho de 1954, aos seus 41 anos, por intoxicação de cianeto. Estudos concluíram que o envenenamento se deveu a remédios que ele compulsivamente tomava.

Texto por: Lhonidas Senna Junior.

Referências:

[1] D. Frazão. Ebiografia: Alan Turing Matemático inglês. Disponível em:<https://www.ebiografia.com/alan_turing/>. Acesso: 26 de março de 2019.

[2] P. R. Fontoura. Invivio: Alan Turing, o pai da computação. Disponível em:<http://www.invivo.fiocruz.br/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=1370&sid=7>. Acesso: 26 de março de 2019.

[3] Autor Desconhecido. Revista Galileu: 17 fatos e curiosidades sobre a vida do Alan Turing. Disponível em:<https://revistagalileu.globo.com/Cultura/noticia/2018/06/17-fatos-e-curiosidades-sobre-vida-do-alan-turing.html>. Acesso: 26 de março de 2019.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *