Svante August Arrhenius (1859 – 1927)

Svante August Arrhenius (1859 – 1927)


Svante August Arrhenius nasceu no ano de 1859 em Wijk, Suécia. Foi um grande físico, químico e matemático além de ser um dos cientistas que fundou e revolucionou a área de pesquisa chamada de Físico-Químca [1 -3].

Arrhenius iniciou seus estudos na Cathedral School e aos 17 anos começou sua graduação, ambos na cidade de Uppsala. Anos mais tarde, mudou-se para Estocolmo onde realizou seu doutorado e, também, propôs sua teoria sobre a dissociação eletrolítica (esta que foi apresentada pela primeira vez em sua defesa da tese do doutorado) [1 – 3].

Nesta época, meados de 1880, o modelo atômico de Dalton ainda estava em alta, e, devido a esse fato, fez com que a teoria proposta pelo cientista fosse várias vezes rebatida e criticada. Em sua teoria, Arrhenius afirmava que uma substância, dissolvida em uma solução, dissocia-se em partículas carregadas eletricamente. Levando em conta que o modelo atômico de Dalton propunha que o átomo era indivisível e maciço, essa ideia estaria absurdamente errada [1 – 3].

Como tentativa de não ter sua teoria descartada, August enviou sua tese a vários outros cientistas renomados, como Ludwig Bolztmann. Após lerem, deram apoio a sua proposta, que alguns anos mais tarde, após experimentos realizados, foi muito bem aceita. Além desse grande feito, o cientista participou de outras grandes pesquisas como: em 1896, previu o aumento da queima de combustíveis fósseis, que mais tarde destruiria a camada de ozônio, e chamou de efeito estufa. Em 1900, ajudou também na formulação de uma teoria que diz respeito às caudas dos cometas. Em 1903 recebeu o prêmio Nobel, em Química, por sua teoria de Dissociação eletrolítica, além de receber a direção do Instituto de Físico-Química da fundação Nobel, que perdurou entre os anos de 1905 até 1927 [1 – 3].

Além de suas pesquisas, o cientista realizou diversas conferências falando de sua linha de pesquisa que mais teve sucesso, a dissociação eletrolítica. Como podemos ver, Svante Arrhenius esteve em uma vida repleta de pesquisas e com grande influência em áreas da ciência básica. Infelizmente, teve uma grande diminuição em suas contribuições à medida que sua morte foi se aproximando [1 – 3].

Svante August Arrhenius morreu em 1927, em Estocolmo [1 – 3].

Escrito por:Matheus Meoquior da Fonseca

Referências:

[1] UOL EDUCAÇÃO. Svante August Arrhenius. Disponível em: https://educacao.uol.com.br/biografias/arrhenius.jhtm. Acesso em: 11 maio 2020.

[2] COSTA, Keilla Renata. “Svante August Arrhenius”; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/biografia/svante-august-arrhenius.htm. Acesso em 11 de maio de 2020. 

[3] “Arrhenius” em SóQ. Virtuous Tecnologia da Informação, 2008-2020. Consultado em 11/05/2020 às 17:51. Disponível na Internet em http://www.soq.com.br/biografias/arrhenius/

[4] Imagem retirada de: WIKIMIDIA. Svante August Arrhenius. Disponível em: https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/9/95/Svante_Arrhenius.jpg. Acesso em: 11 maio 2020.

Avatar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *