Neil deGrasse Tyson (1958 ~)

Neil deGrasse Tyson (1958 ~)

Nascido em 5 de outubro de 1958, na cidade de Nova York. Grande astrônomo e astrofísico que é, Neil descobriu seu amor pela ciência ainda muito jovem, com 9 anos, quando visitou o Hayden Planetarium, planetário do Museu Americano de História Natural.

Tyson recebeu grau de bacharelado em física pela Universidade de Harvard em 1980, mestrado em astronomia em 1983 pela Universidade do Texas, e então obteve mestrado e doutorado em astrofísica pela Columbia University, em 1989 e 1991, respectivamente. Após 3 anos associado a pesquisas de pós-doutorado em Princeton University, em 1994 Tyson começou a trabalhar no Planetário Hayden, lidando com pesquisas sobre estrutura e evolução das galáxias, tornando-se diretor do planetário em 1996, posição que lhe é concebida até hoje.

Uma importante contribuição de Tyson, logo após seu doutorado em astrofísica, foi para a exclusão de uma das possíveis causas do desvio da órbita de Urano do esperado. Adrián Brunini propôs que os desvios foram causados por um impacto entre Urano e um objeto, com energia o bastante para alterar a órbita mas não o suficiente para alterações significativas na atmosfera.
Neil, através de análises energéticas, concluiu que a massa do objeto teria de ser da ordem de (10^–10)Mo, e o impacto teria energia dissipada suficiente (10^4 a energia do Grande Ponto Negro de Netuno-GDS) para gerar mudanças significativas na atmosfera de Urano, e que seriam perfeitamente visíveis para um observador cuidadoso aqui da Terra. Esse argumento excluiu a possibilidade do impacto, que estava teorizado como tendo ocorrido há 100 anos.

Outra contribuição de Neil foi tomar o passo inicial para a exclusão de Plutão como planeta do sistema solar, e passar a classificá-lo como planeta anão. Essa decisão foi tomada durante a finalização de seu projeto de renovação do Planetário Hayden, em 2000, cuja realização foi graças à ajuda de Tyson para o novo design do planetário, o que permitiu levantar um financiamento de U$210,000,000 e oferecer uma amostra extraordinária de astronomia ao público.

Um grande feito de Neil D. Tyson, também, foi a previsão da existência de várias galáxias anãs azuis antes não observadas. Seu trabalho consistiu na simulação computacional de “pequenos universos”, utilizando os parâmetros que Neil e sua equipe acreditavam ser os correspondentes dessas galáxias anãs, os quais incluíam o brilho superficial, raio óptico e tamanho angular. Fizeram-se o cálculos e estimativas, e quando apontaram os telescópios, lá estavam as galáxias. Este trabalho certamente tem uma grande relevância na densidade cosmológica Ω, como é descrito no artigo.

Além desses, vários outros trabalhos foram publicados com sucesso por Neil juntamente com outros cientistas, envolvendo estruturas, evolução e comportamento de galáxias.

Fora todo essa contribuição para a ciência, Neil também é um dos maiores divulgadores científicos vivos, seguindo a filosofia de Carl Sagan, seu inspirador. Escreveu vários livros de astronomia e astrofísica, trazendo conceitos complexos sobre o universo para uma simplicidade compreensível, a fim de aguçar a curiosidade daqueles que gostam de entender mais sobre o cosmos.

Texto por: Bruno Henrique Lisenko Ribeiro

Referências:

BIOGRAPHY. Neil deGrasse Tyson. Disponível em: <https://www.biography.com/people/neil-degrasse-tyson-20766239>. Acesso em: 26 out 2018.

HAYDEN PLANETARIUM. Neil deGrasse Tyson. Disponível em: <https://www.haydenplanetarium.org/tyson/about/cv.php>. Acesso em: 26 out 2018.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *