Resenha de: “Criação Imperfeita”

Resenha de: “Criação Imperfeita”

Autor: Marcelo Gleiser

Ano da edição: 2010

Gênero: Divulgação Científica

Resenha:

Por milênios, as pessoas tentam dar sentido à nossa existência, sugerindo que há algo que nos une ao resto do Universo. Existem diversas representações divinas deste “algo”, buscada por pessoas dentro de igrejas, mosteiros, sinagogas, etc.

Surpreendentemente, isso acontece também no meio científico. Vemos uma busca incessante por parte dos cientistas por uma “Teoria de Tudo”, que uniria, em uma única estrutura, todas as leis da Física. Porém, apesar do esforço de diversas mentes brilhantes, ainda não se chegou a essa Teoria.

Neste livro, Gleiser tenta mostrar que uma teoria da unificação não pode ser alcançada da forma como ela tem sido buscada: uma teoria que não dependa de nada além dela mesmo.

Ele começa seu raciocínio falando sobre a origem de tudo o que existe – a Primeira Causa. Essa Primeira Causa, é algo que existe por si só, sem algo que a precede.

A religião usa deuses para fazer esse papel. Como eles não obedecem às leis da Física, essa estratégia funciona bem. Porém, para o autor, “Essa busca, mesmo que nobre, já nos iludiu por tempo demais. Precisamos de um novo começo, de uma nova busca.”

Teorias modernas buscam substituir os deuses por entidades que possuem um embasamento científico. Porém, para Gleiser, elas são tão falhas quanto as tentativas religiosas, já que todas essas tentativas precisam ser formuladas de acordo com as leis da Física, ou seja, ela não são, de fato, uma Primeira Causa, visto que as leis da Física devem antecede-las.

A partir daí, ele começa a tratar de várias questões de assimetria no nosso Universo, mostrando que ele não é tão bonito quanto se acha atualmente. São as assimetrias as responsáveis por algumas das propriedades mais básicas da Natureza. Toda transformação que ocorre no mundo natural é resultado de algum tipo de desequilíbrio. Como exemplo, o autor fala da origem da matéria, origem da vida, da formação de átomos, entre outros.

Por fim, Marcelo Gleiser propõe uma nova forma de enxergar o mundo, aceitando suas imperfeições e assimetrias.

Autor da resenha: Alex da Silva Moraes

Imagem retirada de: https://www.amazon.com.br/dp/B00OGQ85VA/ref=dp-kindle-redirect?_encoding=UTF8&btkr=1

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *