Resenha: Os Miseráveis

Resenha: Os Miseráveis


Autor: Victor Hugo; – Adaptado por Walcyr Carrasco

Gênero: Romance, Drama

Ano de publicação: 1862

   Este livro, Os Miseráveis, foi escrito originalmente por Victor Hugo e publicado em 1862. No entanto, esta resenha é baseada na leitura adaptada por Walcyr Carrasco, a qual foi publicada em 2002.

   Essa obra se inicia em meados de 1815 e termina por volta de 1834, descrevendo algumas revoltas que aconteceram na época, mais precisamente na França. Por meio deste livro, o autor busca mostrar a vida de pessoas miseráveis que vivem na França – as quais, por serem pobres, estão sofrendo, com fome – e como essas pessoas vão viver em sociedade. Isto é, frente às situações presentes na época devido às revoluções que se transcorriam, sendo, principalmente, a Batalha de Waterloo (1815) e os Motins de Junho de 1832. 

   No meu ponto de vista, por mais que existam outros personagens muito importantes para a história, o personagem principal é Jean Valjean. Ele ficou preso por 19 anos, sendo condenado a realizar trabalhos árduos por tentar roubar um pão para alimentar sua família e por suas diversas tentativas de fuga da prisão. Essa desigualdade social da época o fez roubar um pão e, em vez de oferecerem as devidas assistências a ele, o condenaram. É importante que esses e outros pontos apresentados pelo autor sejam alvo de reflexões, pois ainda se parecem, muitas vezes, com elementos dos dias atuais.

   Naturalmente, ao ser solto, Valjean sai sendo uma pessoa muito cruel, grossa, rígida e que não consegue abrir-se facilmente para as pessoas, enxergando-se como um ladrão. No entanto, acaba sendo transformado após um ato de bondade feito por um personagem incrível que era o bispo.

   No decorrer do livro, o autor mostra o desenrolar dos personagens, apresentando a formação do caráter de todos eles. A principal delas é a de Jean Valjean, que muda toda a sua “essência”, passando a acreditar mais nas pessoas e que é possível mudar de vida.

   Outro ponto que gostei foi que nesse livro é mostrado bastante a vida real. Isto é, no sentido de os detalhes da escrita serem bem construídos, pois mostram que a vida não é só alegria, fazendo ficarmos comovidos com as dores que os personagens passam. Entretanto, ao mesmo tempo, faz-nos ficarmos felizes com os momentos de glória obtidos pelos mesmos. Por mais que essa obra seja antiga, não darei mais spoilers, se é que se pode considerar spoilers o que apresento nesta resenha.

   A todos que se interessaram por essa obra sensacional, desejo uma ótima leitura. E para aqueles que já tiveram essa experiência literária, comentem conosco o que acham sobre as reflexões deixadas por Victor Hugo

Autor da resenha: Matheus Vieira

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *