Max Planck (1858 – 1947)

Max Planck (1858 – 1947)

          Max Karl Ernst Ludwig Planck nasceu em Kiel – Alemanha no dia 23 de Abril de 1858. Ao encerrar o nível médio, aos 16 anos, ele perguntou ao físico Johann von Jolly se deveria abraçar a carreira de cientista. O amigo da família o desencorajou: “neste campo, quase tudo já está descoberto, e tudo o que resta é preencher alguns buracos. Que tal música? Afinal, ele brilhara como soprano no coro infantil, tocava bem piano e órgão.”. Planck respondeu que não queria descobrir coisas novas, apenas compreender os fundamentos conhecidos do assunto.

            Estudou em Munique e obteve o seu doutoramento em 1879 na capital – Berlim. Durante seu doutorado teve aulas com Helmholtz e Kirchhoff. Até o contato com esses dois grandes cientistas, ainda tinha dúvidas entre seguir a carreira musical ou a científica. Voltou para Munique em 1880 a fim de lecionar na universidade local, seguindo posteriormente para a sua cidade natal, Kiel em 1885.

            Casou-se com Marie Merck em 1886. Em 1887, devido a morte de Gustav Kirchdoff,  Planck seguiu para a Universidade de Berlim e foi nomeado professor de Física Teórica, e nomeado reitor em 1913. Permaneceu trabalhando nesta Universidade até sua aposentadoria em 1926.

           Uma das maiores dificuldades da física, no fim do século XIX, era a interpretação das leis que governam a emissão de radiação por parte dos corpos negros. Tais corpos são dotados de alto coeficiente de absorção de radiações; por isso, parecem negros para a visão humana.

      Em 1899, após pesquisar as radiações eletromagnéticas, descobriu uma nova constante fundamental, batizada posteriormente em sua homenagem como Constante de Planck , e que é usada, por exemplo, para calcular a energia do fóton. Um ano depois, descobriu a lei da radiação térmica, chamada Lei de Planck da Radiação. Essa foi a base da teoria quântica, que surgiu dez anos depois com a colaboração de Albert Einstein e Niels Bohr.

      De 1905 a 1909, Max Planck foi diretor-chefe da Deutsche Physikalische Gesellschaft (Sociedade Alemã de Física). A sua mulher morreu em 1909, e ,um ano depois, Planck casou-se novamente com Marga von Hoesslin. Como consequência do nascimento da física quântica, foi laureado em 1918 com o Nobel de Física. De 1930 a 1937, Planck foi presidente da Kaiser-Wilhelm-Gesellschaft zur Förderung der Wissenschaften (KWG, Sociedade para o Avanço das Ciências do Imperador Guilherme).

          Contrário aos ideais nazistas, Planck tentou convencer Hitler a dar liberdade aos cientistas judeus. Planck argumentou que haveria diversos tipos de judeus, alguns valiosos e outros inúteis para a Alemanha. O Führer então lhe respondeu: “Se a ciência não pode passar sem judeus, teremos de nos haver sem a ciência!”. Este fato desagradou a Hitler.

          Em meio a glórias e reconhecimento profissional, a vida de Max Planck foi marcada por tragédias pessoais. Sua primeira esposa sucumbiu ainda jovem à tuberculose, o filho primogênito morreu em 1916 na batalha de Verdun; as filhas gêmeas Emma e Grete morreram ao dar à luz em 1917 e 1919, respectivamente. Apesar dos pedidos pessoais de misericórdia do conceituado cientista, seu filho mais novo, Erwin, foi executado em janeiro de 1945 por envolvimento numa tentativa de atentado contra Adolf Hitler.

           A morte de Erwin o abalou psicologicamente. Este fato fez com que Planck perdesse a vontade de viver. Assim, após o término da Segunda Guerra Mundial, ele e sua segunda esposa se mudariam para Göttingen, onde, em 4 de outubro de 1947, aos 89 anos, Planck morreria em consequência de uma queda e de diversos derrames. Logo após sua morte, a Sociedade KWG foi renomeada como Max-Planck-Gesellschaft zur Förderung der Wissenschaften (MPG, Sociedade Max Planck para o Progresso das Ciências).

               Era venerado pelos seus colegas, não só pela importância de suas descobertas, mas também por suas qualidades pessoais. Albert Eistein comentou sobre Max Planck: “Um homem a quem foi dada a oportunidade de abençoar o mundo com uma grande ideia criativa não precisa do louvor da posteridade. Sua própria façanha já lhe conferiu uma dádiva maior!”.

             As descobertas de Planck, que mais tarde viriam a ser verificadas por outros cientistas, foram o nascimento de um campo totalmente novo na física moderna, conhecidos como mecânica quântica, e que forneceram a base para a investigação de áreas pouco exploradas até então, como a energia nuclear. O próprio Planck sabe de sua importância, tanto que em 1922 fez a seguinte afirmação: “É verdade, antes a física era mais simples, harmônica e, portanto, mais satisfatória!”.

Texto por: Alaíne Gomes

Referências:

Max Planck, disponível em: <http://www.infoescola.com/biografias/max-planck/>, acesso em fev, 2016.

 1858: Nasce Max Planck, pai da física quântica, disponível em <http://www.dw.com/pt/1858-nasce-max-planck-pai-da-f%C3%ADsica-qu%C3%A2ntica/a-3284316?maca=bra-rss-br-ale-1155-rdf >, acesso em fev, 2016.

The Nobel Prize in Physics 1918- Max Planck, disponível em < http://www.nobelprize.org/nobel_prizes/physics/laureates/1918>, acesso em fev, 2016

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *