Boris Podolsky (1896-1966)

Boris Podolsky (1896-1966)

“Podolsky vai diretamente ao coração do problema – Einstein sobre Boris Podolsky”

Boris Yakovlevich Podolsky nasceu no dia 29 de junho de 1896 na cidade de Taganrog na Rússia e ficou muito conhecido por seu trabalho sobre entrelaçamento quântico, uma propriedade da mecânica quântica relatada no artigo de sua co-autoria chamado “Can Quantum-Mechanical Description of Physical Reality be Considered Complete?” (em tradução: A descrição Mecânica-Quântica da realidade física pode ser considerada completa?) onde junto de Albert Einstein e Nathan Rosen discutiu sobre o fato de a Mecânica Quântica não explicar totalmente a realidade física, dizendo que esta era incompleta e apresentando argumentos para tal suposição.

Ainda jovem, Podolsky imigrou para o EUA em 1911 onde receberia seu Ph.D. do Instituto de Tecnologia da Califórnia em 1928. Após seus estudos retornou à URSS (União das Repúblicas Socialistas Soviéticas) onde atuou como diretor de física teórica Instituto Physio-Technical da Ucrânia entre 1930 e 1933.

Ainda em 1933 voltou para os EUA e começou a trabalhar, um ano depois, no Institute for Advanced Study (IAS) em Princeton, Nova Jersey. Sua ascensão como cientista viria em 1935, o ano em que escreveu o artigo contestando os alicerces da Mecânica Quântica, comumente conhecido por Paradoxo EPR (Sigla proveniente dos sobrenomes dos autores do artigo: Einstein-Podolsky-Rosen). Após desentendimentos com Einstein, Podolsky tornou-se professor de física matemática na Universidade de Cincinnati nos anos 1940 onde ficaria até 1961, indo para a Universidade Xavier a qual lecionaria até sua morte em 28 de novembro de 1966.

Não há muitos relatos sobre a vida pessoal de Boris Podolsky, porém este teve um filho chamado Robert Podolsky, que seguiu os passos do pai na ciência, incentivado pelo mesmo e recebendo mestrado em física teórica em 1962 na Universidade Xavier, antes da morte de seu pai.

Há muitos rumores de que Boris foi um espião soviético que forneceu a KGB (Komitet Gosudarstvennoi Bezopasnosti, cuja tradução é Comitê de Segurança do Estado) os segredos de fabricação da bomba atômica. De acordo com o livro Spies: A ascensão e queda da KGB nos Estados Unidos, Podolsky forneceu aos soviéticos “equações químicas complexas no método de difusão gasosa para separar o U-235 da bomba de U indesejado (-238)”. A troca de informações ocorreu na embaixada soviética em Washington, DC, em junho de 1943. Podolsky se reuniu com o vice-embaixador e dois oficiais da KGB. Por sua valiosa informação, Podolsky recebeu um pagamento de U$$ 300 no local. Ainda não ficou claro como Podolsky conseguiu essa informação visto que este foi um método desenvolvido secretamente na afiliada do Projeto Manhattan na Columbia University, onde ele nunca trabalhou. Ele se encontrou outras vezes com a KGB, sendo usado por esta para acessar dados técnicos e experimentais sobre a bomba atômica, enquanto ele queria apenas retornar para a Rússia e se tornar um dos principais físicos teóricos do país.

Podolsky foi um grande cientista que contribui de forma significativa para a física e, no final acabou se tornando realmente o que queria, um dos principais físicos teóricos da Rússia.

Texto por: Sanderson Carlos Ribeiro.

Referências:

[1] WEBMII. Boris Podolsky. Disponível em: <http://webmii.com/people?n=%22Boris%20Podolsky%22>. Acesso em: 08 abr. 2019.

[2] ATOMIC HERITAGE FOUNDATION. Boris Podolsky. Disponível em: <https://www.atomicheritage.org/profile/boris-podolsky>. Acesso em: 08 abr. 2019.

[3] TITÂNIA – a Sociedade Ética de Código Aberto. SOBRE BOB PODOLSKY. Disponível em: <https://www.titanians.org/about-bob-podolsky/>. Acesso em: 08 abr. 2019.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *