Prêmio Nobel em Física – 1921

Prêmio Nobel em Física – 1921

Albert Einstein; Fonte: site Nobel Prize.


O Prêmio Nobel em Física de 1921 leva como seu laureado uma das maiores mentes da Física Moderna, Albert Einstein, com seu notável trabalho sobre o efeito fotoelétrico.

Einstein deu o grande desfecho do antigo debate da física, sobre a natureza da luz: seria ela uma partícula com propriedades materiais ou uma onda eletromagnética com propriedades ondulatórias? Na realidade, fótons são quantas de energia luminosa, como descrito por Einstein, com frequência de uma onda e momento linear de uma partícula.

O experimento que consolidou o tal efeito consistia na incidência de energia luminosa, com uma certa frequência, sobre uma placa de metal. Foram observados então, elétrons sendo “retirados” da placa, os chamados fotoelétrons.

A teoria de Einstein derrubou a visão clássica sobre a luz, apontando contradições na explicação ondulatória do fenômeno. Na visão ondulatória, por exemplo, haveria uma relação de proporcionalidade entre a energia cinética dos fotoelétrons e a amplitude do campo elétrico do fóton, o que se mostra incoerente com os resultados empíricos, pois a energia cinética destes depende da frequência do campo oscilante, não de sua amplitude, conforme aponta a experimentação.

Além de propor um novo modelo para a radiação luminosa, a teoria de Einstein abriu novas perspectivas sobre as partículas atômicas e suas devidas energias. Isto acabou levando ao avanço da Teoria Quântica, que hoje representa um dos campos da física com mais destaque.

Sem dúvida, o trabalho de Einstein iluminou nossa compreensão da física e da ciência na sociedade moderna.

Albert Einstein nasceu no dia 14 de março de 1879, em Ulm, na Alemanha, e morreu aos 76 anos no dia 18 de abril de 1955, em Nova Jérsei, Estados Unidos.

Texto por: Matheus Henry Przygocki

Revisado por: Matheus Vieira Camargo Ramos

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.