Cecilia Payne-Gaposchkin (1900-1978)

Cecilia Payne-Gaposchkin (1900-1978)

Cecilia Payne-Gaposchkin nasceu na cidade de Wendover na Inglaterra no dia 10 de maio de 1900. Aos seis anos de idade começou a frequentar a escola local, onde recebeu uma boa educação, suficiente para que aos 12 anos possuísse um domínio completo da aritmética e uma excelente base de geometria e álgebra, sabendo também falar alemão e francês. Na mesma idade de 12 anos, mudou-se para Londres com sua família, onde frequentou a St Mary’s College, a qual era fortemente voltada para religião e uma decepção a respeito do ensino da matemática e da ciência, devido a esse fator e do desejo de ser cientista, Cecilia teve de estudar pelos livros que possuía em casa.

Já em 1918 estudou na escola de meninas de St Paul, onde pode desenvolver sua paixão por música e também pela ciência, onde prevaleceu a segunda. Entrou na Universidade de Cambridge em 1919, estudando botânica, química e física, optou por focar-se em física após assistir a palestra de Arthur Eddington, que possuía como um dos enfoques a Teoria da Relatividade, que despertou muito interesse em Cecilia, a qual foi autorizada a participar das palestras de astronomia.

Em 1923 obteve seu diploma em física bacharelado e após a palestra de Harlow Shapley foi convencida a passar um ano no Harvard College Observatory, tornando-se mais tarde pesquisadora nacional na universidade de Harvard, em Cambridge, Massachusetts. Sua pesquisa teve como conclusão que o Hidrogênio e o Hélio eram os elementos mais abundantes nas estrelas, o que ia contra a visão da época a qual acreditava que as estrelas possuíam uma composição semelhante à da Terra. Foi enviado um artigo contendo esses resultados para Henry Norris Russell, astrônomo líder da época, que disse que tais resultados eram impossíveis, apesar de Payne-Gaposchkin estar correta, tendeu perante Russell (que apenas em 1929 admitiu que Payne estava correta).

Payne recebeu em 1925 o primeiro Ph.D do Colégio Radcliffe para sua tese Atmosferas estelares: Uma contribuição para o estudo observacional de alta temperatura nas camadas reversíveis das estrelas, uma vez que Harvard não concedia doutorado às mulheres, no mesmo ano detectou o efeito Stark nos espectros das estrelas mais quentes, porém o artigo não foi publicado.

Em 1927 foi nomeada Assistente Técnica de Harlow Shapley. Publicou As estrelas de alta luminosidade em 1930 e em 1943 publicou The Scholar and the World, sendo Introdução à astronomia seu livro mais importante. Já em 1938 recebeu o título de Astrônoma e em 1956 foi nomeada professora em Harvard, de 1956 a 1960 foi Presidente do Departamento de Astronomia da Universidade de Harvard. Cecilia se aposentou 5 anos mais tarde, mas não interrompeu seu trabalho na Smithsonian Astrophysical Observatory, onde trabalhou até 1979. Payne morreu em 7 de dezembro do mesmo ano, em Cambridge, Massachusetts.

Texto por:Fernanda Barbieri

Referências:

O’CONNOR, J J; ROBERTSON, e F. Cecilia Helena Payne-Gaposchkin. Disponível em: <http://www-history.mcs.st-and.ac.uk/Biographies/Payne-Gaposchkin.html>. Acesso em: 15 maio 2018.

GREGERSEN, Erik. Cecilia Payne-Gaposchkin. Disponível em: <https://www.britannica.com/biography/Cecilia-Payne-Gaposchkin>. Acesso em: 15 maio 2018.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *