Galileu Galilei (1564-1642)

Galileu Galilei (1564-1642)

 

Imagem: Galileu Galilei. Créditos:  Justus Sustermans (Domínio Público). Fonte: Wikimedia Commons

“A filosofia está escrita nesse grande livro – o Universo – que permanece continuamente aberto.”(Galileu Galilei)


  Galileu foi um cientista de renome da época, que chegou a estudar das mais diversas áreas, incluindo a filosofia, astronomia, matemática e a física. Quando jovem seu pai inscreveu-o na Universidade de Pisa para estudar medicina, mas Galileu desistiu dois anos depois e decidiu estudar matemática com Otílio Ricci, discípulo do famoso Niccolò Tartaglia. Seu pai tampouco desejava que o filho estudasse matemática clássica e assim Galileu abandonou a universidade em 1585, sem obter o título e foi para Florença, onde deu aulas particulares para sobreviver e continuou os seus estudos de matemática, mecânica e hidrostática.1

 Um tempo depois ele retorna a Universidade de Pisa, mas agora com professor de matemática. E seus feitos foram tantos que em 1592 assume a cátedra da matemática na Universidade de Pádua, onde passou os 18 anos seguintes.2 O interesse pela matemática determinística da natureza levou-o a buscar compreender os fenômenos naturais, principalmente pelo fato de Galileu acreditar numa entidade superior, pois ao estudar os fenômenos, Galileo fazia o papel de um admirador que buscava compreender a mente da divindade autora. Muito embora seus estudos terem provocados a hostilidade da igreja.

 Seus estudos aplicados a filosofia natural levou-o a construção de uma metodologia aprimorada a ser utilizada para avaliar os fenômenos. O pesquisador deveria se impor conforme o método, na tentativa de facilitar o seu trabalho na compreensão do fenômeno. Tal formulação foi sem sombra de dúvidas o maior feito de Galileu, pois favoreceu a uma revolução científica que até então se baseava nos princípios aristotélicos.

 Em 1609, Galileu ouviu falar de um novo instrumento que consistia num tubo com duas lentes e que permitia ver os objetos como se eles estivessem mais próximos. Com base nessa informação, Galileu colocou mãos à obra e desenvolveu o seu próprio telescópio. Mesmo não sendo ele o que inventará o telescópio, ele foi o primeiro a apontá-lo para o céu e observar os astros que o levou a primeira publicação de um livro com os resultados dessas observações.2 Suas observações tiveram incio no ano de 1609 e logo em março de 1610 ele publica suas observações na sua obra “Sidereus Nuncius” (Mensageiro das estrelas). “Essa obra de poucas páginas viria a ser uma das mais importantes da História da ciência. Nela, Galileu apresenta a superfície da Lua como sendo irregular, com montes e crateras; apresenta a descoberta dos 4 satélites de Júpiter, a que ele chamou de “estrelas de Médicis”; apresenta ainda a descoberta que a Via Láctea é na realidade constituída por um enorme número de estrelas que não podem ser distinguidas a olho nú”.2

 As suas descobertas apoiavam o modelo cosmológico do heliocentrismo. O sistema heliocêntrico é aquele em que a Terra orbita em volta do Sol, e não o contrário como se pensava naquela época. Galileu foi um forte defensor do sistema heliocêntrico, sistema já defendido anteriormente pelo astrônomo polonês Nicolau Copérnico. Até então o modelo cosmológico aceito na época era o geocentrismo, ou seja, a Terra como o centro do Universo. Tanto o Sol, como a Lua, os planetas e até as estrelas orbitam em torno da Terra. Galileu Galilei apresentou várias evidências que apoiava o heliocentrismo.

 “Mais tarde a defesa do heliocentrismo viria a causar problemas entre Galileu e a Igreja. Em 1616, a Inquisição pronunciou-se contra a ideia de que o Sol é o centro do Universo considerando a teoria heliocêntrica como herética. Em consequência, foi proibido falar do heliocentrismo como realidade física, mas apesar disso era permitido referir-se a este sistema como hipótese matemática. Galileu foi convocado a Roma onde pode expor os seus argumentos. A conclusão do Tribunal do Santo Ofício era que não existiam provas suficientes para concluir que a Terra se movia em volta do Sol, tendo admoestado Galileu abandona a defesa da teoria heliocêntrica, já que sua vida encontrava-se em risco”.2 Assim Galileu cumpriu pena por heresia em regime domiciliar até os seus dias finais.

 Fora as contribuições para a astronomia que geraram estardalhaço no clero da época, Galileo contribuiu também nas concepções mecânicas quando passou a estudar a queda dos corpos e o fator que os faziam chegar ao chão. Para tal, Galileo necessitou de dispositivos de medidas de tempo, para isso ele desenvolveu equipamentos na tentativa de medir o mesmo chegando a usar de pêndulos. Dizem que para compreender a queda dos corpos Galileo chegou a subir na torre de Pisa por varias vezes para abandonar diferentes corpos com diferentes massas e com a ajuda de um auxiliar ele conseguiu concluir que, independente da massa, os corpos chegam ao chão no mesmo instante e ainda no espaço entre o ponto que se abandona o corpo e o solo, existe uma substância que impede seu movimento. No caso da não existência dessa substância todos os corpos independentes de seu formato cairiam com o mesmo tempo, referência mais tarde utilizada pela tripulação da Apollo 11 ao testar a queda de um martelo e uma pena na Lua.3

 Inúmeras foram as contribuições de Galileo para a história e para a ciência. Sem o seu trabalho o mundo não teria a realidade que temos hoje, pois Galileo além de seus trabalhos científicos ele demonstrou sua rebeldia para com os Inquisidores, ao passar seus conhecimentos para os jovens que desejavam o esclarecimento cientifico “iluminador”, assim contribuindo para o iluminismo.

Texto por: Maycol Szpunar

 Referênciais:

[01]        http://www.fisica-interessante.com/biografia-galileu-galilei.html

[02]        http://www.siteastronomia.com/galileu-galilei-uma-pequena-biografia

[03]        https://instagram.com/nasa/

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *