Três trabalhos da Unicentro são ganhadores em maior prêmio da Comunicação da região sul

Três trabalhos da Unicentro são ganhadores em maior prêmio da Comunicação da região sul

A Unicentro teve três trabalhos vencedores do Expocom Sul, que é etapa regional da Exposição de Pesquisa Experimental em Comunicação. O prêmio faz parte do congresso da Intercom, a Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação, que é a entidade nacional de maior referência na área.

Um dos trabalhos vencedores foi o “Violência sexual – Não é Culpa Sua”, na categoria Produção Multimídia. O Não é Culpa Sua é fruto do projeto experimental em Jornalismo desenvolvido pelos egressos da Unicentro Paula Claro, Renatha Giordani, Gesiel Thomas e Priscila Pollon, com orientação da professora Ariane Pereira. Com o objetivo de amparar mulheres de todas as idades vítimas de violência sexual, esse trabalho foi desenvolvido a partir das demandas apresentadas pelo Cram, que é o Centro de Referência ao Atendimento à Mulher de Guarapuava, que funciona conjuntamente com a Secretaria de Políticas Públicas para Mulheres do município.

A ideia do projeto é justamente mostrar para essas vítimas que elas têm direitos, que elas têm direito a fazer a denúncia mesmo que a violência tenha acontecido a muito tempo atrás, mostrar que ela tem direito a amparo jurídico e, mesmo que ela decida não denunciar, ela ainda tem direito de fazer acompanhamento psicológico, a consultas com médicos, e enfatizar como é importante cuidar da saúde física e emocional dessa vítima depois que acontece uma violência como essa. Eu acho que ganhar a premiação mostra que estamos no caminho certo, que é importante ter esse olhar de gênero para os casos de violência, a tratar essas mulheres não só como números e estatísticas, mas ter um olhar mais empático e mais humano na profissão. Eu aprendi muito disso com esse projeto”, detalha a jornalista Paula Claro sobre os objetivos do projeto multimídia Não é Culpa Sua.

Como o Não é Culpa Sua é um projeto multimídia, o material foi estrategicamente pensado para garantir que a informação chegue até as vítimas. Para isso, foram produzidos materiais informativos em diversos meios, desde o material impresso como cartazes, cartilhas e folderes de conscientização, até o material on-line, com um site e um aplicativo. Esses produtos orientam tanto as mulheres em situação de violência sexual, quanto os profissionais envolvidos no seu atendimento. O trabalho Não é Culpa Sua também foi premiado no Expocom Sul na categoria Website.  

Mais do que competir com outros projetos, que o nosso projeto se torne conhecido e que as pessoas possam se inspirar através dele e conseguir fazer seus próprios projetos e mudar a realidade de outras pessoas. A gente acredita que plantou ali uma sementinha. O sentimento é de gratidão à professora Ariane e à universidade que possibilitou isso para a gente, sempre com um pensamento muito crítico e não só tecnicista, que nos ajuda, a cada dia que passa, a fazer mais”, avalia outra integrante do grupo, Renatha Giordani.

Na modalidade Projeto de Extensão a Unicentro foi vitoriosa com a ação extensionista “Florescer: a universidade como propulsora de políticas públicas para mulheres”

A temática do combate à violência contra a mulher também rendeu outra premiação importante para a Unicentro no Expocom Sul 2020. Na categoria Projeto de Extensão, a acadêmica Mayara Maier concorreucom o trabalho “Florescer: a universidade como propulsora de políticas públicas para mulheres”, coordenadopela professora Ariane Pereira, com supervisão das docentes Iris Tomita e Renata Caleffi. Esse projeto é desenvolvido na Unicentro desde 2016, levando até as escolas municipais oficinas sobre a importância da equidade entre homens e mulheres.

Nós vamos até as escolas municipais de Guarapuava e ministramos oficinas para as crianças do terceiro ano. Essas crianças aprendem sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente – de que maneira, dentro desse documento tão fundamental, a gente tem direitos e deveres das próprias crianças, do Estado para com essas crianças e dos pais para com essas crianças. A partir disso a gente começa a mostrar para elas a importância da equidade entre homens e mulheres, entre meninos e meninas, que vai possibilitar que elas possam exercer todas as possibilidades na vida delas, sem restrições. A gente fala, então, da Lei Maria da Penha, dos tipos de violência contra a mulher, onde buscar ajuda e porque é importante romper o ciclo da violência”, detalha a professora Ariane. 

A partir dessas informações, as crianças que participam das oficinas do Florescer produzem materiais audiovisuais sobre o que aprenderam, de modo que naturalizem e internalizem os conceitos de equidade e de não violência. Mayara Meier, que é bolsista do Florescer e inscreveu o projeto no Expocom Sul, comemorou a conquista. “Receber esse prêmio do Expocom e ser reconhecido como o melhor projeto de extensão da região sul em Comunicação é muito importante, porque o que a gente quer é difundir essa ideia de equidade, de menos violência contra a mulher, a gente quer que a universidade esteja presente nessas discussões para que a gente possa efetivamente mudar essa realidade”. 

A professora Ariane salienta que esse reconhecimento do esforço dos estudantes da Unicentro influencia positivamente nas suas futuras atuações profissionais. “O Expocom traz uma espécie de aval, um atestado de que aquele ex-estudante, aquele recém-formado está saindo da universidade preparado para pensar a atualidade da Comunicação. Eu acho que o Expocom é uma demonstração de que esse estudante sabe, sim, fazer, mas mais do que fazer, ele sabe pensar diferente e sabe procurar novas formas de fazer”.

Os três trabalhos premiados no Expocom Sulpassam, agora, para a etapa nacional do prêmio, que reúne os ganhadores de cada uma das cinco regiões do país. A revelação dos vencedores do Expocom Nacional está programada para o dia 10 de dezembro, às 19h30, e acontecerá de forma virtual.

Avatar

Deixe uma resposta