Reitor da Unicentro explica como fica dia a dia da Unicentro durante pandemia de covid-19

Reitor da Unicentro explica como fica dia a dia da Unicentro durante pandemia de covid-19

Nessa segunda-feira, 23, às 18h, a Unicentro completa uma semana sem atividade de ensino, pesquisa e extensão. Mesmo o trabalho administrativo passou por mudanças a partir da última terça, com a transferência de todas as ações possíveis para home office. A suspensão é uma das respostas que estão sendo dadas pela universidade ao avanço do coronavírus pelo Brasil. Elas são uma tentativa de preservar a comunidade universitária – estudantes, professores, agentes e estagiários – e também a sociedade da região da contaminação pelo Covid-19. Ainda assim, muitas são as dúvidas sobre esse período e, por isso, o reitor Fábio Hernandes explica alguns pontos específicos relacionados ao dia a dia da Unicentro durante o período de suspensão.

 

Por que foi e é necessária a suspensão das atividades por tempo indeterminado?

Fábio Hernandes) “A suspensão das atividades presenciais, principalmente as aulas, por tempo indeterminado se fez necessária haja vista que não temos ainda uma previsão de quando essa pandemia diminuirá. Então, em decisão conjunta do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão e do Conselho de Administração foi pela suspensão imediata por tempo indeterminado – como diz também o decreto do governo, que não há um prazo para término. Estamos cuidando da prevenção, mas também haverá um momento em que o coronavírus tenderá a chegar a Guarapuava e nós precisaremos estar cientes, preparados para enfrentar a pandemia. Então, não sabemos quando isso vai diminuir, quando isso vai cessar. Nós achamos melhor suspender por tempo indeterminado. Assim que as coisas melhorarem, a gente retoma as atividades

A Comissão de Prevenção continuará ativa?

Fábio Hernandes) “Esta comissão tem trabalhado, tem estado em contato com órgãos da saúde do município, com a 5. Regional, com a Secretaria Estadual de Saúde. Então, enfim, estamos em contato com várias entidades públicas. Também, em alguns momentos, com os hospitais para entender como está a situação do Covid-19 em Guarapuava e região. Então, essa comissão está ativa e ela vai nos ajudar, nos auxiliar nas tomadas de decisão. Também vai nos ajudar, auxiliar – a comunidade como um todo – no sentido da prevenção, no sentido das ações. Então, essa Comissão de Prevenção continuará ativa enquanto essa situação estiver ainda na nossa região, em Guarapuava e Irati

Qual é a maior preocupação da universidade nesse momento?

Fábio Hernandes) “Nesse momento, a maior preocupação da universidade é o bem-estar e a saúde coletiva de todos os nossos estudantes, nossos docentes, dos nossos agentes universitários, da comunidade como um todo. Porque se nós tivermos uma pessoa que contraiu o vírus, ela tende a disseminar no seu ambiente de trabalho, na sua casa e nós temos pessoas pertencentes à grupos de risco. Então, a nossa maior preocupação é o bem-estar, a saúde de todos. Então, nós vamos agir para que o Covid-19 cause os menores problemas possíveis aqui na nossa região, no nosso estado, no nosso país

O que continua funcionando na universidade nesse período de suspensão das aulas e de recolhimento social?

Fábio Hernandes) Só ficarão em funcionamento os serviços essenciais. A grande maioria dos professores e agentes universitários estarão desenvolvendo suas atividades em casa, por meio do chamado home office, Então, eles vão trabalhar, vão desenvolver suas atividades a distância”

Professores, agentes e estagiários foram dispensados das suas atividades?

Fábio Hernandes) “Os professores, agentes universitários e estagiários não foram dispensados de suas atividades. Os agentes e estagiários, muitos, estão dispensados de estarem presencialmente nos seus locais de trabalho. Mas muitos deles levaram atividades para serem desenvolvidas a distância, por meio do ferramental disponível. Então, muitos estão em home office, continuam trabalhando, mas em casa. Então, eles estão dispensados para suas atividades presenciais, principalmente aquelas pessoas que pertencem ao grupo de risco

CAD e Cepe decidiram por voltar a discutir a questão do ensino a partir de 13 de abril. Como vai ser dar esse processo? Quais são as alternativas possíveis?

Fábio Hernandes) “O Cepe e o CAD decidiram voltar a questão do ensino a partir do dia 13 de abril. A ideia é, caso a pandemia não esteja aqui na nossa cidade, caso seja possível nós convocaremos esses conselhos para tomarmos novas decisões – a continuidade da suspensão das aulas, a possibilidade de alguma outra forma de atividades sem ser presencial. Mas ficou muito claro que essa reunião somente ocorrerá caso haja condições de convocar e que os conselheiros estejam presentes em um espaço. Não podemos fazer reuniões por skype, whatzapp. Então, não está garantida que a reunião do dia 13 ocorrerá. Só se nós tivermos condições de realizá-las”

Avatar

Deixe uma resposta