Unicentro tem aulas de aikido

Unicentro tem aulas de aikido

Uma arte marcial que prega a ausência de competição e incentiva o espírito de cooperação. Estamos falando do aikido, arte de origem japonesa que, pouco a pouco, está ganhando visibilidade. Em Guarapuava, um dos grupos dedicados estimular essa prática realiza os treinos no ginásio de esportes do campus Cedeteg. O aikido, como explica o mestre Abraham Virmond Haick, preza pelo desenvolvimento pessoal dos praticantes. “Ele visa a construção do caráter. O fundador do aikido dizia, também não em uma tradução perfeita, mas a ideia era de que não existe uma vitória correta, uma vitória verdadeira se alguém sai derrotado. Então, acho que a principal mensagem  que o aikido deu para mim é que a vitória nossa do dia a dia é das nossas dificuldades. Não é você vencendo o outro que você vai ser uma pessoa melhor, e sim você vencendo as suas dificuldades através do treinamento árduo, você vai melhorando a sua técnica e vai melhorando seu caráter”.

Os treinamentos de aikido no campus Cedeteg iniciaram em 2013. O grupo é filiado à Federação Paranaense de Aikido e conta, atualmente, com três integrantes faixas preta, o sensei Abraham, e os professores Luis Henrique Vidal, do Departamento de Agronomia, e João Marcelo Deliberador Miranda, do Departamento de Ciências Biológicas. Os docentes obtiveram o grau de Shodan, sendo promovidos à Faixa Preta de 1° Dan na Arte do Aikido no início do mês de outubro. O professor Luiz Henrique explica que a cor da faixa identifica o nível de cada praticante e que os exames para graduação são realizados na Federação Paranaense de Aikido, em Curitiba.

As primeiras faixas, as coloridas, são chamadas de kius, inicia com a faixa branca, passa para a faixa amarela, depois a faixa roxa, a verde, a azul, a marrom e a preta. Para cada nível você tem que demonstrar algumas habilidades que são treinadas diariamente ou durante o período de treinos. Então, a evolução vem com o tempo. O nível de dificuldade, o nível de evolução das técnicas aumenta com o nível de graduação que você obtém. O exame para faixa preta é realizado em aproximadamente 40 minutos. São cobradas aproximadamente 100 a 115 técnicas diferentes que uma banca formada por senseis mais graduados, e eles pedem as técnicas com seus nomes em japonês e você precisa executá-las para mostrar a habilidade de como isso é realizado”, detalha Luiz Henrique. 

O professor João Marcelo ainda ressalta que, por ser uma arte marcial que não estimula a competição, o aikido desperta o sentimento de autossuperação nos participantes. “”Eu tenho que ser hoje melhor do que eu era ontem. Então, isso é muito legal porque não importa minha condição física, se amanhã eu tiver melhor do que hoje já é um ganho, eu não preciso ganhar da outra pessoa, não estou competindo com ninguém, eu estou tentando melhorar minha condição física, minha saúde. Então, ele traz esse ganho físico para a gente, mas também psicológico e mental, no sentido de aliviar o estresse. O Aikido traz uma filosofia do não-enfrentamento”.

O professor Luiz Henrique complementa afirmando que os treinos de aikido trazem benefícios que vão além da melhora na condição física. “Além de proporcionar que você faça uma atividade física, isso ajuda também a libertar um pouco a cabeça, você consegue descansar um pouco a cabeça focando em outros assuntos que não o cotidiano da pesquisa, da docência, da extensão que a gente tem aqui, do ensino direto aí no dia a dia da universidade”.

O sensei Abraham Haick destaca que a prática do aikido é indicada para todas as pessoas, independente de sexo, peso, graduação, altura ou condição física. Os treinos, no campus Cedeteg são gratuitos e abertos a toda a comunidade. O encontro do grupo é realizado nas terças e quintas, a partir das 18h15 e no sábado, às 10h30. “Para participar, tem que vir aqui. Está aberto. É só vir aqui assistir um treino. A gente tem por praxe que a pessoa venha e assista o treino para ver como é o treinamento e pode começar imediatamente. Está aberto a toda comunidade, os professores, alunos e também a funcionários aqui da universidade”.

Para os professores que receberam a Faixa Preta e para o sensei que orienta os treinos de Aikido no campus Cedeteg, a conquista é motivo de comemoração e um incentivo para continuar aprimorando as técnicas. “Para mim, é uma satisfação muito grande. Era um sonho pessoal meu trazer o aikido aqui para Guarapuava, contribuir com isso, e achei esses dois professores que compraram a ideia, se dedicaram muito e são merecedores da graduação que têm. Então, é um orgulho muito grande para mim fazer parte do grupo e treinar junto com ele”, diz o sensei.

Avatar

Deixe uma resposta