Trem de Minas é realizado, pela terceira vez, pela Unicentro

Trem de Minas é realizado, pela terceira vez, pela Unicentro

Uma noite de música, literatura, gastronomia e história. Tudo com um objetivo em comum: celebrar a cultura de Minas Gerais. Pelo terceiro ano seguido, a Diretoria de Cultura da Unicentro (Dirc) promoveu o Trem de Minas. A mineira radicada no Paraná, a professora de canto da universidade, Eliana Fialho, é uma das idealizadoras da ação. “Nós somos muitos saudosos. todos que estamos fora do estado de modo geral somos”.

A professora levou os corais que comanda para se apresentarem no Trem de Minas, sempre procurando destacar o trabalho de músicos do estado. A literatura mineral também foi lembrada. Uma parceria entre a Diretoria de Cultura e a o projeto Dom Caixote, ligado ao programa Universidade Sem Fronteiras, disponibilizou um mural com poemas de escritores mineiros. “Nós trouxemos carlos Drummond de Andrade, Guimarães Rosa, Adélia Prado, que retratam essa história mineira, que tem tudo a ver com o evento de hoje”, conta a coordenadora do projeto, professora Ana Lúcia Suriani.

A gastronomia também foi lembrada (Foto: Coorc)

A história também teve seu espaço na noite de festa. O professor Cláudio Andrade foi responsável por ministrar uma palestra a respeito da inconfidência mineira e as repercussões dela sob um viés popular. “Houve ali todo um processo de revolta contra o sistema, contra a política da coroa portuguesa e os altos impostos. E houve participação de muita gente nas diversas classes e segmentos, uma miscelânea de pessoas”, explica.

O sotaque e o modo de falar do povo mineiro foi outro aspecto cultural lembrado. Quem esteve no Trem de Minas pode ver um mural com um dicionário de expressões típicas do estado. “O vocabulário deles é um ponto bem relevante da cultura, é um ponto muito interessante e foi aí que surgiu a ideia. A gente fez várias pesquisas na internet, trabalhos acadêmicos e algumas coisas assim, para encontrar, de fato, o vocabulário deles”, detalha a estagiária Dirc, Isadora Prestes. 

E não tem como falar da cultura mineira sem mencionar a culinária, que é conhecida e apreciada em todo o país. Afinal de contas, quem aqui resiste a um pãozinho de queijo? “Nossa cozinha brasileira é muito rica, mas Minas Gerais tem uma das influências maiores”, avalia o professor de Gastronomia da Faculdade Guairacá, parceira do evento, Renato Gabriel de Lima. Doce de leite com queijo, bolos de iogurte e de fubá, doce de abóbora e feijão tropeiro entraram no cardápio da degustação.

As delícias de minas gerais e as atrações da noite caíram no gosto do público. A jornalista e professora colombiana Lina Villanueva aproveitou a visita a Guarapuava para conferir o Trem de Minas. “Muito interessante conhecer a cultura de Minas Gerais- a história, a gastronomia. Uma experiência encantadora e integradora”. Se o Trem de Minas impressiona quem é de fora, os nativos do estado, como o caso do estudante Eduardo Martins, também não têm do que reclamar. “Gostei muito evento, de resgatar, mesmo aqui no Paraná, trazer essa cultura de Minas. E eu, como mineiro, até agradeço aos idealizadores por tudo que fizeram, porque eu me senti em casa realmente essa noite”.

Avatar

Deixe uma resposta