Unicentro dá início as atividades de 2019 do projeto Integra

Unicentro dá início as atividades de 2019 do projeto Integra

Ensinar de uma forma diferente. Trazer para o estudante do Ensino Médio a possibilidade de complementar o que já sabe e aprender ainda mais. Tudo isso dentro da Unicentro. Esses são os objetivos do Projeto Integra – um programa de extensão vinculado a Pró-Reitoria de Extensão e Cultura da Unicentro (Proec). A ação atende os alunos do segundo ano do ensino médio das escolas públicas de Guarapuava.

A aula inaugural, que deu início a segunda edição do projeto, contou com apresentação cultural e gincana. Segundo a coordenadora do Integra e pró-reitora de Extensão e Cultura da Unicentro, professora Elaine Maria dos Santos, nessa segunda edição, o projeto pretende fortalecer ainda mais a interdisciplinaridade, além de promover novos formatos de trabalho. “Aqui nos trabalhamos na perspectiva da interdisciplinaridade. Então, juntamos as grandes áreas, tentando fazer uma parte mais experimental, uma parte mais prática, trazer esse assunto, fazer esse estudante viver um pouco a Unicentro, saber o que é a Unicentro, conhecer e, acima de tudo, criar expectativa para poder se preparar e entrar aqui em alguns dos nossos cursos”, detalha.

Voltado para alunos do ensino médio de escolas públicas, Integra está na segunda edição (Foto: Coorc)

De acordo com a coordenadora pedagógica do Integra, professora Ana Lucia Suriani, o projeto além de ajudar os alunos das escolas públicas, auxilia também os discentes da Unicentro. Afinal, os professores que ministrarão as aulas são estudantes dos cursos de licenciatura da universidade. “Existe um outro lado de formação dos nossos acadêmicos porque a maioria dos professores, na verdade, todos do Integra são acadêmicos dos diferentes cursos de licenciatura e que, nesse momento, estão praticando o seu futuro profissional. Então, já atuando como professores sob uma supervisão. Isso vai fazer toda a diferença no futuro profissional de cada um deles”, defende Ana Lúcia.

O projeto que tem como objetivos o auxílio ao estudante e a aplicação das grandes áreas do conhecimento no ensino através de um caráter diferenciado. Para isso, os conteúdos são mesclados com atividades como a música; debate; experiências práticas de química, física e matemática; e trabalho de campo. Tudo isso, para o vice-reitor da Unicentro, professor Vitor Hugo Zanette, propicia ao aluno uma visão das oportunidade a que têm acesso os universitários. “Para que eles conheçam quais são os nossos cursos, como é que funciona uma carreira – não só universitária, mas também depois, a sua profissão quando ele for para o mercado de trabalho. Então, isso vai oportunizar a esses meninos, a esses jovens que façam uma melhor escolha”.

E alcançar uma vaga na universidade a partir da aprovação no vestibular é um dos objetivos da participante do projeto Suelen Paloma Pereira. A estudante do segundo ano do ensino médio pretende cursar Medicina e vê no Integra a oportunidade que precisava para se preparar para os processos seletivos. “Essa é uma oportunidade para quem realmente quer ter essa oportunidade de estudar e passar em um bom curso, né? Ter oportunidades”, avalia.

Com metodologias inovadoras, projeto quer inserir a comunidade na instituição (Foto: Coorc)

Já o estudante de Fisica, Matheus Henry Przygocki, que já garantiu sua vaga na Unicentro, agora busca outras oportunidades. Por isso, se interessou por integrar a equipe de professores do projeto. “Você não pode aprender sobre estar na sala de aula enquanto você não entra nela. Então, vai ser uma coisa que a gente vai ter uma troca de experiências eu vou poder ensinar. Eesses alunos vão poder me ensinar muita coisa”.

Para o diretor do campus Cedeteg, professor Fabio Hernandes, o projeto Integra é mais um exemplo da participação da Unicentro no dia a dia da comunidade de Guarapuava. “É abrir as portas da nossa universidade. Nossa universidade é um patrimônio do nosso estado, do nosso povo. Então, recebê-los é uma obrigação. É uma obrigação da nossa universidade ir em busca da nossa comunidade”, defende.

Avatar

Deixe uma resposta