Unicentro é 28. melhor Universidade do país, segundo Ministério da Educação

Unicentro é 28. melhor Universidade do país, segundo Ministério da Educação

O Ministério da Educação (MEC) divulgou, ontem (18), o resultado do Índice Geral de Cursos, o IGC, que diz respeito ao desempenho global das instituições de ensino superior. O MEC avaliou 195 universidades e a Unicentro foi considerada a 28. melhor do país. “Nós estamos posicionados, de fato, entre as melhores universidades de todo o país e isso é motivo de orgulho para toda a comunidade acadêmica de Guarapuava, de Irati e da região e é motivo de orgulho para todas as pessoas que vivem nessa região central do Paraná porque ter uma instituição interiorana, situada numa região em que ao longo do tempo o desenvolvimento passou ao largo – apenas atualmente essa região central do estado vem sendo objeto de atenção e de investimentos para o seu maior desenvolvimento – e ter nesse contexto uma universidade tão bem posicionada, como é o caso da Unicentro, é, sem dúvida, motivo de orgulho e de muita comemoração não só pela comunidade acadêmica da Unicentro, mas por toda a região”, afirma o reitor da Universidade Estadual do Centro-Oeste, professor Aldo Nelson Bona.

Nesse IGC, a Unicentro manteve o conceito quatro – numa escala de um a cinco. Porém, a pontuação aumentou em relação ao anterior, conquistando seis posições no ranking nacional, passando da 34. colocação, em 2017, para 28., nessa última avaliação. E os números, segundo o diretor de Avaliação Institucional, Angelo Marafon, quando desdobrados, evidenciam ainda mais o desempenho de excelência da Universidade. Afinal, se foram consideradas apenas as instituições de ensino superior da região sul do país, a Unicentro é a oitava melhor, atrás apenas da Universidade Federal (UFPR) e das universidades estaduais de Londrina e Maringá, UEL e UEM respectivamente, todas mais tradicionais e antigas que a Unicentro. No universo das instituições de ensino superior estaduais, que somam 36 avaliadas no Brasil, a Unicentro também se destacou, sendo considerada a sétima melhor.

“Apenas 20% das instituições de ensino superior brasileiras de 2.083 avaliadas nesse último ano ficam com conceito entre quatro e cinco, a Unicentro entre elas. Isso representa o compromisso com a oferta de ensino de graduação e pós-graduação – porque também o IGC é reflexo disso. Os CPCs, Conceitos Preliminares de Curso, vem consolidando a Unicentro cada vez mais. Isso é prova da nossa qualidade”, avalia Angelo.

Para chegar ao IGC, são levados em consideração os resultados obtidos pelos cursos no CPC (Conceito Preliminar de Curso) no ano do cálculo e, também, nos dois anteriores. Dessa forma, o IGC sempre se refere ao triênio e, portanto, compreende todas as áreas previstas no Ciclo Avaliativo do Enade (Exame Nacional de Desempenho). Assim, entram no cálculo a média dos CPCs do último triênio, relativos aos cursos avaliados da instituição, que é ponderada pelo número de matrículas em cada um dos cursos computados; a média dos conceitos de avaliação dos programas de pós-graduação stricto sensu atribuídos pela Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior) na última avaliação trienal disponível; e a distribuição dos estudantes entre os diferentes níveis de ensino, graduação ou pós-graduação stricto sensu.

“Eu atribuo esse excelente desempenho a uma série de fatores, mas o principal deles é, sem dúvida nenhuma, o comprometimento de toda a comunidade acadêmica da universidade – pessoal docente, pessoal agente universitário, os nossos estudantes têm um compromisso institucional, um compromisso com a qualidade e isso têm repercutido nas avaliações pelas quais a universidade tem passado. O crescimento na qualificação do quadro docente da instituição; a ampliação do número e da qualidade dos nossos programas de pós-graduação; a qualificação dos agentes universitários, do corpo técnico-administrativo da instituição; além das questões de infraestrutura – a melhoria da infraestrutura da instituição é um projeto que tem avançado com bastante dificuldade em razão da restrição orçamentária mas que, ainda assim, tem possibilitado melhores condições de trabalho e de oferta dos nossos cursos. Tudo isso constitui um cenário que pode ser considerado favorável a esta melhora da Unicentro em seu posicionamento no ranking nacional de avaliação. Mantivemos o IGC 4 com crescimento nas casas decimais, o que representa que a instituição pode, num futuro muito próximo, atingir o conceito máximo, que é o IGC 5 e, aí, ainda, assim, melhorar cada vez mais a sua posição. Nos dá muito orgulho este resultado e muito censo de compromisso de que ele precisa ser mantido, preservado nas próximas edições”, finaliza Aldo Bona.

Avatar

Deixe uma resposta