Alunos de Farmácia orientam sobre descarte de lixo de pacientes de Covid-19

Alunos de Farmácia orientam sobre descarte de lixo de pacientes de Covid-19

A Unicentro, desde o início da pandemia, assumiu um papel importante diante do combate e da prevenção da Covid-19. E foi com o intuito de continuar auxiliando a comunidade que os alunos do quinto ano do curso de Farmácia da Unicentro, em parceria com a Farmácia Escola do campus Cedeteg e a Prefeitura de Guarapuava, lançaram o projeto intitulado “Sugestões para descarte de resíduos domiciliares em situações de pandemia por coronavírus”. A ação pretende disseminar informações sobre o descarte correto do lixo infectante, para que os coletores da Surg, que é a Companhia de Serviços de Urbanização de Guarapuava, possam trabalhar em segurança na hora de coletar o lixo.

“Todos nós sabemos que, diante da pandemia causada pelo vírus Sars-CoV-2, a humanidade vem vivenciando uma nova realidade em função da disseminação desse vírus. Esse projeto, na verdade, tem como função estudar a problemática vivenciada pela pandêmica do coronavírus em dessa forma, colaborar com a prevenção da disseminação do novo coronavírus, como auxiliar nos trabalhos realizados pelos funcionários da Surg”, explica o diretor da Farmácia Escola, professor Marcos Auler.

Orientações também são repassadas durante atendimentos na Farmácia Escola

O projeto também compreende uma das etapas do estágio dos alunos do último ano do curso de Farmácia. Através de folders, as informações são repassadas a usuários dos serviços da Farmácia Escola. Uma das coordenadoras do projeto, professora Jaqueline Horst, destaca que, além do material físico, os alunos também oferecem as informações de forma verbal na hora da dispensação de medicamentos. “Pensando-se na saúde e segurança dos funcionários responsáveis pela coleta de lixo da cidade de Guarapuava, os alunos do quinto ano do curso de farmácia da Unicentro, baseados em orientações feitas pela Prefeitura e pela Surg, eles elaboraram folders contendo informações sobre o descarte do lixo gerado por pacientes com Covid-19, devido a muitas pessoas não terem acesso às redes sociais. E, no momento da entrega do folder, esse repasse é realizado de forma verbal, explicando a pessoa quais cuidados devem ser feitos no momento do descarte do material gerado por pacientes com Covid-19. Com isto, a saúde e a segurança dos trabalhadores da coleta do lixo da cidade e também seus familiares serão preservados”. 

Andrieli Meira da Costa é uma das alunas do último ano que está participando do projeto. Para ela, o repasse das orientações de forma física são de suma importância para aqueles pacientes que não têm acesso ou não estão habituadas com as redes sociais. “Como a universidade deve ser responsável por difundir informação e conhecimento, isso foi o que a gente conseguiu fazer em meio a uma pandemia e, dessa forma, a gente vê a importância para que a gente zele pela saúde dos nossos servidores que coletam o lixo e também pela família deles”, afirma.

Avatar

Deixe uma resposta