Unicentro é a 18. universidade mais inovadora do Brasil

Unicentro é a 18. universidade mais inovadora do Brasil

O Ranking Universitário da Folha de S. Paulo (RUF) voltou a avaliar as instituições de ensino superior brasileiras. Em 2019, a Unicentro manteve-se entre as cem melhores do país. Mas o melhor resultado para a universidade veio no eixo Inovação. A Unicentro é hoje a 18. instituição mais inovadora do país. “No que diz respeito à inovação tecnológica o destaque foi muito grande, porque nós alcançamos o 18. lugar. Então, é uma posição importante porque é uma universidade do interior do Paraná, onde o IDH é baixo, buscando o desenvolvimento”, considera o diretor de Avaliação Institucional da Unicentro, Angelo Marafon. Ele acredita que a colocação é resultado de um trabalho voltado para a inovação realizado de forma ampla pela universidade.

A mesma avaliação é feita pela diretora de Propriedade Intelectual da Agência de Inovação Tecnológica da Unicentro (Novatec), Cláudia Crisóstimo. Para ela, essa 18. colocação é resultado de uma política de valorização da ciência, da tecnologia e inovação adotada pela universidade já há 15 anos. “Cuidado com a gestão das patentes, gestão da propriedade intelectual. Nós temos tomado muito cuidado com a formalização dos termos de parceria, com o acompanhamento de todas as patentes. Desde 2008, nós estamos, a cada ano, com uma nova carta-patente sendo concedida. Então nós estamos colhendo os frutos de alguns pedidos que foram feitos anteriormente”, detalha.

Claudia explica que, para o eixo Inovação, são dois os quesitos avaliados pelo RUF: o número de patentes concedidas e de depósito de patentes, e também publicação com empresas de pesquisas e projetos desenvolvidos em parcerias com empresas do setor público ou entidades da iniciativa privada. Por isso, conta, “nos últimos anos nós temos trabalhado muito a relação externa da universidade com outros órgãos e instituições – como Sebrae, Federação da Indústria, poder público municipal – que nós temos uma interação muito grande com a Secretaria de Desenvolvimento Econômico e de Inovação, com a Associação Comercial (Acig), com a Agência do Empreendedor”.

Exemplificando essa geração de produtos inovadores a partir de parcerias, Claudia salienta uma patente depositada junto ao INPI (Instituto Nacional de Propriedade Intelectual) que tem co-titulatidade Unicentro, através do Programa de Pós-Graduação em Bioenergia, e Sanepar. Isso porque foi durante o mestrado que a bióloga Márcia Mendes Costa Guareski, que é funcionária da Companhia de Saneamento do Paraná, encontrou, através da pesquisa, uma destinação para as algas das lagoas de tratamento de esgoto do estado: a produção de etanol. “Está correndo o trâmite no INPI como prioridade de patente verde. Então, a gente espera que saia em dois, três, quatro anos no máximo, a concessão da patente”, afirma Claudia.

O jornal Folha de S. Paulo avaliou 196 universidades, públicas e privadas, de todo o território nacional para a elaboração do seu Ranking Universitário, o RUF. As notas e colocações foram conferidas para cinco eixos: ensino, pesquisa, internacionalização, inovação e relação estabelecida pela instituição de ensino superior e o mercado de trabalho. Cada item foi avaliado de forma isolada e os cinco foram somados para o estabelecimento de uma média.

Avatar

Deixe uma resposta