Inscrições para o Concurso Internacional de Contos Eslavos ficam abertas até dia 24

Inscrições para o Concurso Internacional de Contos Eslavos ficam abertas até dia 24

O Paraná é o estado brasileiro com o maior número de descendentes da cultura eslava. Na região de Irati, a história da migração de povos ucranianos e poloneses deixa vestígios até hoje em diversos aspectos, como a língua, a arquitetura e a culinária. Para celebrar essa cultura ainda muito tradicional na região, o Núcleo de Estudos Eslavos da Unicentro (Nees) está promovendo a segunda edição do Baika, que é o Concurso Internacional de Contos Eslavos, em parceria com a Universidade de Varsóvia, da Polônia.

O nome Baika já traz em si já traz toda uma história, que significa em ucraniano “vovó”. A Unicentro, o campus Irati, está em um espaço geográfico eslavo e muitos foram alfabetizados em português quando foram pra escola, ou seja, em casa falavam ou ucraniano ou polonês. Portanto, esse concurso privilegia o espaço geográfico da Unicentro, que pede temas eslavos”, comenta o professor da Unicentro Edson Santos Silva, que faz parte da comissão organizadora do Baika.

Muitos moradores da região de Irati têm a cultura eslava entrelaçada com sua própria história de vida. Um deles é o Chico Guil, que mora em Prudentópolis, e foi um dos premiados na edição passada do concurso, com o conto intitulado “Xororó da Salaveta”. “A cultura ucraniana faz parte da minha vida desde que eu nasci. A ascendência maior mesmo é o polonês. Os pais do meu pai eram poloneses e uma das avós dele era ucraniana. Esse aprendizado que eu tive com relação ao linguajar do nosso colono do interior, principalmente do povo ucraniano, marcou bastante e isso acabou gerando algumas conversas que eu tive com o meu irmão, o Dimas, e que a gente acabou juntando uma peça e outra aqui, e eu acabei escrevendo esse conto”.

Obra de Andrey Shishkin sobre a mitologia eslava

De acordo com Chico, a narrativa que ele criou conta uma história de amor, que é conduzida de uma forma cômica, principalmente a partir das brincadeiras com a linguagem dos descendentes de ucranianos. E para a segunda edição do concurso de contos, ele está pensando em escrever um desdobramento dessa história. “É possível uma continuação porque o romance do Xororó com a Salaveta fica meio em suspenso no final do conto ganhador do ano passado, não se sabe se vai ter continuação ou não. É possível que eu faça uma continuação do conto da Salaveta e do Xororó ou, talvez, eu faça alguma crônica ou um conto com características eslavas, relacionado com o povo eslavo e mando para o concurso”.

A inscrição para o Baika é gratuita e pode ser feita até o dia 24 de setembro pela página do concurso no site da Unicentro. Qualquer pessoa pode se inscrever no concurso, que tem duas categorias – a juvenil, para o público de até 16 anos de idade, e a categoria adulto. O Núcleo de Estudos Eslavos da Unicentro também aceita inscrições pessoalmente no campus Irati, ou ainda, via correio. O resultado com os vencedores será divulgado no site da Unicentro no dia 12 de novembro.

O professor Edson adianta que os contos vencedores serão publicados por uma editora e que a organização do concurso está preparando um evento festivo para a data da premiação. “Já tem uma editora que se colocou a disposição para publicar gratuitamente. No dia da revelação dos grandes premiados vai ser uma noite festiva, com apresentações culturais, como manda o figurino. Uma festa mesmo em prol da língua e da cultura eslava e, sobretudo, dessa valorização da oralidade eslava. Todo idioma tem que ser super, hiper valorizado porque o idioma é a fotografia de um povo, a fotografia de uma cultura”.

Avatar

Deixe uma resposta