Estudantes e professores de Agronomia fazem visita técnica ao Paraguai

Estudantes e professores de Agronomia fazem visita técnica ao Paraguai

Estreitar laços com instituições de ensino superior de países vizinhos tem sido um dos objetivos da Unicentro ao longo do seu processo de internacionalização. Um exemplo disso é a parceria estabelecida entre a universidade e Unican, a Universidade Nacional de Canindeyú (Unican), do Paraguai, na área de Ciências Agrárias. A ação mais recente foi uma visita técnica a instituição paraguaia por professores e estudantes da Unicentro. Um dos objetivos da viagem foi aproximar os alunos brasileiros dos estudantes paraguaios.

“Tentar conhecer um pouco mais o Paraguai, ver essa realidade. Às vezes, existem alguns conceitos que não são muito claros sobre as coisas. Então, esse foi o primeiro ponto. Depois, para mostrar que a nossa profissão está em constante evolução, seja ela na extensão rural, seja já ela como profissional liberal, e também como pesquisador”, explica o professor Sebastião Brasil, do Departamento de Agronomia. Visão complementar tem a docente do mesmo departamento, Deonísia Martinichen. “Possibilitar que os nossos alunos tenham uma visão do setor produtivo de um país tão vizinho, tão próximo em questão de distância, mas tão distante com questões culturais, com a questão da produção propriamente dita. Os sistemas de produção são muito diferentes de como nós produzimos lá. Então, acho que isso é importante para que eles conheçam a realidade do Paraguai”.

A comitiva, liderada pela professora Deonísia e pelo professor Sebastião, cumpriu agenda de dois dias no Paraguai. Eles visitaram dois dos três campi da Unican. No primeiro, em Salto del Guairá, os alunos e professores foram recebidos pelo reitor da universidade paraguaia, Mariano Adolfo Pacher. Para ele, a importância da aproximação entre as universidades está em desenvolver trabalhos voltados à melhoria da qualidade de vida da população, tanto do Brasil quanto do Paraguai. “Hoje é muito importante ter um olhar horizontal, um olhar solidário e cooperativo, porque estamos muito perto e as dificuldades que podem ter o povo perto do Brasil são quase as mesmas do Paraguai. A missão de uma universidade é a sociedade com o um todo. Nós queremos melhorar a qualidade de vida dos habitantes de nossa região. A Universidade nasce com esse conceito e precisamos estreitar os laços para melhorar a qualidade. Acho que temos muito a intercambiar”, afirma.

Já no campus de Katueté, onde fica a Faculdade de Ciências Agropecuárias e Ambientais, a comitiva foi recebida por professores e alunos do curso de Agronomia e acompanhou uma palestra sobre o Agronegócio no Paraguai, proferida pelo coordenador de Pesquisa do curso de Agronomia na Unican, Milciades Melgarejo.“Explicar para eles a importância, na economia do Paraguai, do agronegócio. Fazer uma análise do que pode ser melhorado em cada região. Os problemas que têm lá podem ser os problemas que tem aqui. Discutir as possíveis soluções da problemática que surge no campo agrícola”, conta Melgarejo.

A visita técnica proporcionou essa esperada troca de experiências. Interação que motivou os estudantes das duas instituições, como destacam o acadêmico de Agronomia na universidade paraguaia, Thiago Machiner, e a estudante da Unicentro, Karin Matos. “Para mim, é muito bom porque a gente pode saber o que está acontecendo do outro lado, em outros países ao redor do país da gente. Assim, a gente pode intercambiar conhecimento”, diz Thiago. “Nós passamos a entender mais a realidade deles. Nós percebemos também que os jovens são lideranças no país. No Brasil, nós também temos isso, mas aqui foi muito bonito ver a vontade que eles têm de aprender, a vontade que eles têm de buscar fora, buscar o nosso país”, afirma Karin.

Durante a visita técnica ao Paraguai, os professores e alunos da Unicentro puderam conhecer as estruturas da Unican e também trocar experiências em palestras realizadas durante a Expo Canindeyú. A feira agropecuária é uma tradição do Departamento de Canindeyú e, nos últimos anos, conta com a Unican na promoção de palestras. Neste ano, um dos convidados foi o professor Sebastião Brasil, da Unicentro. Ele abordou os sistemas integrados de produção lavoura e pecuária na promoção da sustentabilidade agropecuária.

Para o presidente da exposição, Celito Cobalchini, com o apoio da Unican e participação da Unicentro a feira contou, pela primeira vez, com uma palestra internacional. “Para nós, como organizadores desse evento, é muito importante, porque já por 21 anos que estamos organizando o evento e esse ano, pela primeira vez, se transformou em um evento internacional. Por isso que nessa palestra que estamos fazendo hoje é muito importante a presença da Universidade de vocês também”.

A apresentação foi acompanhada por estudantes e, também, por produtores da região. Seo Edson Bastian, por exemplo, é produtor de leite no Paraguai e melhorou a produção depois de receber a ajuda dos professores da Unicentro, por meio de um projeto de extensão realizado em parceria com a Unican. Por isso, fez questão de conferir as informações repassadas na palestra. “Eu tinha uma dificuldade com o manejo do pasto e a Unicentro veio e me assessorou e eu melhorei a produção, a questão do pasto. É muito rentável a ajuda que eles oferecem para o pequeno agricultor. Hoje eu produzo mais leite por dia com a ajuda deles”, conta.

O objetivo da visita técnica, de aproximar ainda mais as universidades, foi alcançado com sucesso. Ao final da viagem, professores e alunos da Unicentro voltaram para Guarapuava considerando positivas as experiências no país vizinho. “Em relação ao que eu vou levar para casa é o conhecimento de um campo novo, que a gente pode estar futuramente atuando aqui dentro. Então, é muito boa essa troca de informações porque, às vezes, pode trazer mais informações tanto para minha vida profissional quanto pessoal e, consequentemente, utilizar elas das melhores formas possíveis no nosso campo, no nosso país, no caso, o Brasil”, destaca o acadêmico João Vitor Finoketi.

Comitiva visitou dois campi universitários e uma feira agropecuária (Foto: Coorc)

“A experiência que os alunos vivem, quando saem do seu meio normal”, avalia o professor Sidnei Jadoski. “acaba ampliando os horizontes do conhecimento tanto deles, quanto a pesquisa, a extensão, as características das culturas de outras regiões, quanto também dos próprios professores. No final, o resultado disso tudo é o crescimento tanto da gente que está visitando, quanto do local que a gente está visitando”.

A expectativa, agora, de acordo com o diretor acadêmico da Faculdade Ciências Agropecuárias e Ambientais da Unican, Ever Maidana,é que novas parcerias sejam delineadas para que, muito em breve, os alunos da Unican também conheçam as estruturas e projetos da Unicentro. “Acredito que é oportuno e é o que nós, enquanto instituição, buscamos. Estreitar laços, ter mais convênios com vocês”.

Avatar

Deixe uma resposta