II Unicentro Rural apresenta resultados de pesquisas desenvolvidas na Fazenda Escola

II Unicentro Rural apresenta resultados de pesquisas desenvolvidas na Fazenda Escola

Desde 2017, os cursos de graduação e pós-graduação em Agronomia e Medicina Veterinária da Unicentro contam com mais um espaço de estudo: a Fazenda Escola. A área, de aproximadamente 30 hectares, pertence ao Instituto Agronômico do Paraná (Iapar) e foi cedida à universidade, permitindo a realização de novas práticas de ensino, pesquisa, extensão e atividades científicas e tecnológicas.

Atualmente, segundo o diretor da Fazesc, professor Marcelo Cruz Mendes, onze planos de atividade estão sendo desenvolvidos na área experimental e, para apresentar os resultados de algumas dessas pesquisas, o Conselho Deliberativo da Fazenda Escola organizou a segunda edição do Unicentro Rural. “O segundo Unicentro Rural vem no intuito de realizar uma atividade para com a comunidade acadêmica e a comunidade externa da nossa sociedade, de difundir uma parte dos trabalhos que estão sendo realizados dentro da unidade da Fazenda Escola. O objetivo é trabalhar os principais temas relacionados aos Planos de Atividades dos professores, que se prontificaram em mostrar parte dos resultados, mostrar que a Fazenda Escola está atuante, que tem desenvolvido diferentes vias de pesquisa no termo de cessão de uso firmado com o Iapar”, detalha Marcelo.

O dia de campo reuniu mais de 120 participantes, que puderam acompanhar a apresentação das pesquisas em seis estações. Entre elas, a cultura do girassol; as práticas de fitotecnia ligada ao uso de bactérias pela agricultura; as plantas daninhas, com enfoque nos resultados gerados pelas pesquisas e na importância dessa fase de manejo; o manejo do solo e a mecanização; as pesquisas sobre ovinocultura; e, também, o manejo de doenças na cultura do milho.

Unicentro Rural apresentou resultados de pesquisas desenvolvidas por pesquisadores da graduação, mestrado e doutorado (Foto: Coorc)

Káthia Szeuczuk, por exemplo, é aluna do doutorado em Agronomia e trouxe para o Unicentro Rural algumas considerações sobre sua tese, que aborda o manejo de cultivares de milho. “O objetivo da pesquisa é você enfatizar a importância de ter uma diversidade de escolhas com diversos híbridos e você fazer o manejo correto quanto a isso, tanto com fertilidade quanto, principalmente, com o manejo das doenças que vão estar diretamente relacionados com a produtividade final”.

Na mesma linha, o acadêmico do quinto ano de Agronomia, João Vitor Finoketi, apresentou os resultados de sua pesquisa de iniciação científica intitulada “Manejo de doenças foliares na cultura do milho com diferentes grupos de fungicidas”. “A gente escolheu três híbridos e três tratamentos mais uma testemunha para ver que há diferença na escolha do híbrido, bem como na redução de severidade de doenças proporcionada pelo uso de fungicidas”, explica. Para o acadêmico, eventos como o Unicentro Rural são uma boa oportunidade para divulgar os resultados da pesquisas que podem otimizar o trabalho no campo.”Se você escolher determinado híbrido, você vai ter, às vezes, uma produtividade maior do que se você escolher esse outro, o errado. Então, é você mostrar, na prática, a realidade que a gente tem a teoria em sala de aula”.

Cacio Padilha também é acadêmico de Agronomia e participou do Unicentro Rural 2019. Para ele, a instalação da Fazenda Escola possibilitou o crescimento das linhas de pesquisa e estimulou o desenvolvimento de trabalhos de iniciação científica, mestrado e doutorado. Por isso, ele vê no dia de campo uma oportunidade para agregar ainda mais conhecimento. “Acho que toda oportunidade de agregar um novo conhecimento, principalmente durante a faculdade, os alunos devem aproveitar bastante. O Unicentro Rural está voltado para os dados gerados dentro da nossa universidade, com os pesquisadores do nosso curso de Agronomia, na Fazesc. Então, acho que se torna mais importante ainda o conhecimento desses resultados”, avalia.

Durante o Dia de Campo, também foi firmado um convênio entre a Unicentro e a empresa NB Máquinas. A assinatura vai que permitir o desenvolvimento do projeto “Cooperação técnica quanto ao uso de equipamentos da marca JF em atividades de Agricultura e Pecuária”. Para isso, oito equipamentos agrícolas foram cedidos à universidade pelo período de 24 meses e poderão ser utilizados nas áreas experimentais da Fazenda Escola e do campus Cedeteg. Para o professor Marcelo Cruz Mendes, essa parceria tem grande importância no sentido de permitir o bom desenvolvimento das atividades de campo e garantir a qualidade das pesquisas. “A formação de parcerias público-privadas no intuito de demonstrar equipamentos, demonstrar a tecnologia, fazer com que o aluno tenha contato com esses maquinários é fundamental. Essas parcerias fazem com que a gente tenha a possibilidade de acesso a máquinas cada vez mais modernas ou que estão indo para o mercado com questões recentes e que facilitam o trabalho dos funcionários, dos alunos, dos pesquisadores que estão envolvidos nos campos de pesquisa”.

Dia de campo também foi marcado pela assinatura de convênio de cessão de máquinas agrícolas para as pesquisas (Foto: Coorc)

João Bozzi, representante da JF Máquinas Agrícolas, também destacou a importância do acesso ao maquinário na formação dos acadêmicos. “Eles estão vendo a tecnologia que eles estão trabalhando, eles estão vendo como que funciona porque se ficam só na teoria é diferente. Eles vendo a máquina trabalhar, vendo o corte como funciona, para eles é muito bom isso. Eles estão levando o conhecimento de como funciona na prática”.

O vice-reitor da universidade, professor Osmar Ambrósio de Souza, participou da abertura da segunda edição do Unicentro Rural e ressaltou a relevância do evento como meio de divulgação dos resultados obtidos a partir de pesquisas realizadas na Fazenda Escola e do bom uso que vem sendo feito do espaço. “Um evento dessa natureza é o momento dessa prestação de contas, de fato, de mostrar para o público interno, para o externo, para os nossos parceiros o bom uso da Fazenda Escola. É uma satisfação grande ver a Fazenda Escola produzir, ver pesquisas de mestrado, doutorado, de iniciação científica sendo desenvolvidas lá, desenvolvendo novas tecnologias que são colocadas já de imediato à disposição e ao conhecimento dos alunos que, certamente, esse nosso aluno vai aplicar isso na prática na nossa região”.

Avatar

Deixe uma resposta