Vice-reitor da Universidade Veracruzana, do México, visita a Unicentro

Vice-reitor da Universidade Veracruzana, do México, visita a Unicentro

A Unicentro segue promovendo sua internacionalização. São diversas ações que vão desde a promoção de cursos de idiomas estrangeiros até a criação de convênios com universidades de fora do país. E, no último mês, mais um desses laços da instituição com o mundo se estreitou. Isso porque a Unicentro recebeu a visita do professor José Luis Alanís Méndez, vice-reitor da Universidade Veracruzana, do México. segundo o professor Marcio Fernandes, chefe de gabinete da reitoria, as duas instituições já mantêm contato há três anos e a ideia é fazer com que essa parceria seja ampliada. “Ele veio conhecer a universidade como um todo. Esteve com a reitoria. esteve no campus de Irati. Ele é biólogo, então foi conhecer também o campus Cedeteg. Dessa vez foi uma visita focada em incrementar as relações entre as duas universidades”. 

A Universidade Veracruzana e a Unicentro já desenvolvem iniciativas em algumas áreas, entre elas a Enfermagem e as Ciências Contábeis através de ações de mobilidade de alunos e professores, que passaram um período em território mexicano e também professores e estudantes de lá que já vieram para a Unicentro. Além disso, a Veracruzana ofereceu um curso a distância, ministrado por professores daqui, sobre língua portuguesa e cultura brasileira para a comunidade universitária mexicana.

A visita técnica envolveu, entre outros setores, o gabinete da Reitoria, o Escritório de Relações Internacionais e o Departamento de Ciências Contábeis (Foto: Coorc)

Para o professor José Luiz, a visita é importante na medida em que a relação pessoal facilita o encaminhamento de parcerias. “O que essa visita proporciona é o ter o contato físico com muito dos professores, dos responsáveis, de diferentes áreas”, avalia. Outro ponto que o professor salienta da visita, é observar a estrutura que a Unicentro possui e que pode estar a disposição de alunos e pesquisadores da Veracruzana quando vierem para o Brasil. “Parte do objetivo desta visita é saber como os alunos estão sendo formados em diferentes cursos, tanto no nível de graduação quanto de pós-graduação, e os recursos que eles têm para essa formação”. O vice-reitor acredita que, além de promover a mobilidade entre as universidades, as conversas em solo brasileiro podem, também, abrir novos caminhos para pesquisas. “Buscar linhas de atuação conjuntas, não só para a mobilidade, mas para trabalhos de pesquisa que podem ser feitos em colaboração com membros das duas universidades”.

Uma das atrações que mais chamaram a atenção do biólogo José Luiz foi o Parque das Araucárias que, segundo ele, é um grande projeto de conservação, não só das espécies vegetais, como também de animais silvestres. “Eu gostei muito também da parte da estufa, que tem algumas espécies nativas. É muito bonito arquitetonicamente, mas biologicamente é mais importante”. Responsável por guiar o professor no Parque, a bióloga Maristela Procidonio acredita que a visita foi uma oportunidade de trocar conhecimentos sobre espécies dos dois países, além de poder mostrar o trabalho desenvolvido aqui para alguém de fora. “Nós fazemos essa troca de experiências,  de espécies, a importância da unidade de conservação. E, sobretudo, alguém levar para fora e mostrar que nós temos uma beleza natural aqui no nosso município”.  

Avatar

Deixe uma resposta