Parceria Unicentro-Prefeitura de Sulina avalia potencialidades turísticas do município

Parceria Unicentro-Prefeitura de Sulina avalia potencialidades turísticas do município

Igrejas, casarões antigos e uma natureza de encher os olhos. Riquezas naturais e culturais localizadas em Sulina, município que fica a pouco mais de 170 quilômetros de Guarapuava, no sudoeste paranaense. A cidade, de acordo com o prefeito Paulo Horn, tem um grande potencial turístico que até pouco tempo não era totalmente explorado. “Nós sempre éramos vistos na região sudoeste como um município com enorme potencial turístico, mas que nunca foi explorado adequadamente. Sulina tem inúmeras atrações, mas que não foram catalogadas, que não foram devidamente expostas para o público que tem esses objetivos de buscar, de ter um momento de lazer”, avalia o gestor municipal.

Rumos que começaram a mudar há um ano, quando a prefeitura de Sulina passou a contar com o apoio da Unicentro na realização do projeto intitulado “Turismo e Desenvolvimento Local”, uma iniciativa do Departamento de Geografia do campus Cedeteg, em Guarapuava, que também tem a parceria de um docente do Departamento de Turismo do campus de Irati.

Resultados de estudos fora apresentados durante Audiência Pública (Foto: Coorc)

Esse projeto surgiu como uma proposta maior, com vários outros projetos que foram elencados pela Prefeitura Municipal no âmbito das suas secretarias. Então, o Departamento de Geografia foi questionado sobre como poderia contribuir com algo que não existia dentro do município e que poderia, de certa forma, viabilizar várias outras iniciativas de âmbito regional. Ao ver essas possibilidades, nós reunimos as diferentes especialidades – tanto docentes, como também dos discentes – que participam do projeto, junto com o professor Diogo Fernandes, do Departamento de Turismo, e elaboramos, então, uma proposta metodológica baseada em documentos oficiais para viabilizar a oferta da atividade turística no município de Sulina”, detalha o professor Lisandro Pezzi Schmidt.

Trabalho que começou a dar bons frutos. A partir dos levantamentos e mapeamentos feitos com o apoio da prefeitura e da comunidade local, foi possível elaborar um inventário da oferta turística no município que, de acordo com o professor Mario Zasso Marin, possibilita pensar a relação existente entre turismo e o desenvolvimento local. “Como o turismo, a partir dos recursos naturais, dos bens e serviços poderia – e temos certeza que pode – contribuir com o desenvolvimento local. É um município pequeno, mas com muitas riquezas, sejam elas naturais ou culturais. É importante destacar que o turismo tem um efeito multiplicador, então a população ganha como um todo – comércio, mercados, poder público, sociedade”.

No inventário, entregue à Prefeitura em dezembro de 2019, constam todos os principais pontos da cidade. A partir dele, será possível diagnosticar o que o município já tem e o que pode ampliar para melhorar a atividade turística. Esse mapeamento também forneceu informações para a elaboração de um roteiro turístico da cidade como produto de um Trabalho de Conclusão de Curso desenvolvido por Vanessa Beraldo. Ela conta que o roteiro foi dividido em duas partes. “O primeiro foi aquele que nós fizemos lá na parte da cidade, na área mais urbana. O outro diz respeito as belezas naturais, que são as cachoeiras. E para chegar a elas temos duas opções, por terra, pelas trilhas, ou pela navegação pelo Rio Iguaçu”, explica.

Rota das cachoeiras poderia ser explorada de dois modos, por terra e pelo rio (Foto: Coorc)

Outro Trabalho de Conclusão de Curso possibilitado pelo projeto foi desenvolvido pela acadêmica Rebeka Almeida. A pesquisa é referente a um levantamento geomorfológico, análise de solos e avaliação de fragilidades e potencialidade das áreas. “A gente coletou  pontos de GPS em locais onde já houve desastres naturais ou áreas potencialmente suscetíveis a desastres naturais, áreas de risco, reunimos os dados levantados com o mapeamento e esses dados coletados em campo e a gente trouxe, então, um mapeamento dessas áreas de fragilidade, áreas de risco e áreas que podem ocorrer outros desastres naturais”, explica Rebeka.

Os resultados do projeto foram apresentados em uma Audiência Pública na Câmara de Vereadores da cidade. As projeções otimistas para o desenvolvimento do potencial turístico do local animaram a população sulinense. “É um trabalho muito bem elaborado que vai levar Sulina nos mais longínquos recantos do Brasil”, projeta o morador da cidade Hilário Schneider. Para Valmor Magedanz, a partir do projeto, o município “vai ter condições de colocar em prática o que há muitos anos já foi tentado fazer mas não foi conseguido”.

Segundo a administração local, o apoio da Unicentro foi essencial para a identificação de possíveis intervenções no âmbito de políticas públicas que incentivem novas oportunidades para a população, valorizem o que já existe no município e explorem as riquezas do local de maneira sustentável. “A gente pode, através dessa parceria com a Unicentro, trabalhar esse potencial, trabalhar esse roteiro, para que a gente possa estar usufruindo dele e a população toda pode ser beneficiada, principalmente o comércio e as pequenas propriedades rurais. Todo mundo sairá ganhando disso aí”, opina o prefeito Paulo Horn.

Cachoeiras são parte dos recursos turísticos de Sulina (Foto: Coorc)

Para o professor Lisandro Pezzi Schmidt, coordenador do projeto, a parceria reflete a importância das instituições de ensino no desenvolvimento de ações que ultrapassam as salas de aula. “Reforçar essa produção do saber a partir daquilo que desenvolvemos dentro da universidade. Nós podemos aplicar o ensino, nós podemos aplicar a extensão, nós podemos aplicar a pesquisa e reunir tudo isso em um único documento, de domínio público”.

Avatar

Deixe uma resposta