Unicentro recebe comitiva da Universidad Nacional del Est, do Paraguai

Unicentro recebe comitiva da Universidad Nacional del Est, do Paraguai

Estreitar os laços entre ensino, pesquisa e extensão. É assim que a Unicentro vem trabalhando para fortalecer seu processo de internacionalização. E entre os principais parceiros estão os países vizinhos, como o Paraguai. Uma comitiva formada por professores da UNE, que é a Universidad Nacional Del Est esteve em Guarapuava. O objetivo, segundo o reitor da Unicentro, professor Aldo Nelson Bona, é a construção de um convênio de cooperação internacional entre as Instituições. “Recentemente, tivemos um conjunto de professores aqui da Unicentro que participou de um congresso internacional na UNE e que, durante este congresso, levamos e mantivemos a exposição itinerante do nosso Museu de Ciências Naturais. Foi exatamente a participação neste evento e esta exposição que motivou a visita da delegação que recebemos hoje”, conta.

Nesse momento, como afirma o professor Jorge Luiz Fávaro, que é diretor do Setor de Agrárias e Ambientais da Unicentro, o foco está, justamente, nas áreas de Agronomia e de Ciências Agrárias. “O foco dessa visita é eles conhecerem, nesse momento, o que é realizado aqui na Unicentro em termos de projeto de ensino, de pesquisa e extensão voltado a área de ambientais, de Ciências Agrárias e Ambientais”. E como nada melhor do que a prática para aprender, durante a passagem por Guarapuava, a delegação visitou, no campus Cedeteg, os locais onde estão sendo desenvolvidas as pesquisas ligadas à agroecologia. O grupo viu de perto as estufas do projeto de cultivo de sementes crioulas e, também, ficou conhecendo um pouco mais sobre a produção de frutas orgânicas.

Pesquisas que, futuramente, de acordo com o chefe do Departamento de Agronomia da Unicentro, professor Luiz Henrique Vidal, podem culminar em uma parceria. “Eles têm interesse em conhecer essa área da Agronomia – da agricultura, da fruticultura de forma geral – e estamos mostrando um pouquinho das perspectivas de pesquisas que são realizadas no nosso departamento e o que pode ser feito numa futura parceria”.

O Decano da Faculdade de Engenharia Agronômica da UNE, José Sánchez, esclarece que além da parceria entre as Instituições, na bagagem vieram também outras ideias e planos que podem beneficiar não apenas as universidades. “Hoje viemos na área de Agronomia e Ambiental levar um pouco da experiência dos trabalhos de extensão que se desenvolvem aqui em convênio com as prefeituras, com os governos departamentais para nós, e estaduais para vocês. Essa experiência é o que queremos levar principalmente para poder desenvolver em nossa região com diferentes instituições”.

Intenção é implantar na UNE um espaço nos moldes do Museu de Ciências Naturais da Unicentro (Foto: Coorc)

E como forma de entender melhor esse tipo de colaboração, os professores da UNE participaram de uma reunião na Secretaria Municipal de Meio Ambiente, parceira da Unicentro em diversas ações. Além disso, visitaram um dos pontos turísticos mais famosos de Guarapuava, o Parque das Araucárias. A agenda da delegação Paraguaia encerrou com uma visita técnica ao Museu de Ciências Naturais da Unicentro. O objetivo, conforme o direto do Museu, professor Maurício Camargo Filho, é que um espaço, semelhante a esse, seja instalado na Universidad Nacional Del Este em breve. Eles vieram atrás da universidade para que possamos formar uma parceria, formular um convênio com eles para que a Unicentro possa fornecer a eles uma assessoria para construção de um museu lá, aos moldes como nós temos aqui na Unicentro com a Prefeitura”, relata.

E se o objetivo é estreitar ainda mais a relação entre as duas universidades, para o diretor de Relações Internacionais da Unicentro, professor Luis Paulo Mascarenhas, nada melhor do que investir nessa troca de experiências. “É importante para a Unicentro estreitar esse laço de ensino, pesquisa e extensão que nós buscamos com a internacionalização. A visita da comitiva da Universidade Del Este é um desses passos, é um desses momentos onde nós podemos enriquecer e ter uma troca maior de experiências entre as universidades”, finaliza.

Avatar

Deixe uma resposta