Assédio na Universidade é tema de pesquisa realizada pela Coordenadoria de Apoio ao Estudante

Assédio na Universidade é tema de pesquisa realizada pela Coordenadoria de Apoio ao Estudante

O assédio, de forma geral, é entendido como uma conduta abusiva e repetitiva, que tem como objetivo humilhar, constranger, coagir ou isolar uma pessoa. Esse tipo de comportamento se apresenta de várias formas e provoca no outro danos morais, emocionais e psicológicos. Presente em vários ambientes, também pode ser identificado nas instituições de ensino superior. Por isso, pensando em combater esse tipo de comportamento dentre da Unicentro, a Coordenadoria de Apoio ao Estudante da Universidade está fazendo uma pesquisa interna.

A assistente social da Unicentro, Dioneia Edlyng Maciel, foi uma das idealizadoras da ação. A ideia, segundo a profissional, é conhecer a compreensão que os acadêmicos têm do que é assédio, além de identificar como está a questão na Instituição. “Sabemos que são poucos os alunos que procuram atendimento em relação à quantidade de situações que, de fato, acontecem. A ideia foi expandir isso, ampliar essa investigação, a identificação dessas situações”, conta.

Quem também participou da idealização do material foram os residentes técnicos da área de Serviço Social que atuam na Coordenadoria de Apoio ao Estudante. Bruna Maria Rossignolli é uma delas e explica que o questionário é composto por 23 perguntas. “O questionário é anônimo, não precisa se identificar. A gente só precisa saber o nome do Campus para identificar quais são as áreas mais atingidas”, ressalta.

“Assediômetro” foi desenvolvido em parceria pelos Numapes Florescer e Irati

Esta não é a primeira vez que uma pesquisa sobre assédio é realizada na Unicentro. O campus de Irati foi o primeiro a iniciar esse trabalho de pesquisa, no ano passado, como ação do Numape (Núcleo Maria da Penha), ligado ao Departamento de Psicologia (Depsi). “O questionário foi feito exclusivamente para o pessoal de Irati, mas eles viram também que existia demanda daqui, do Campus Santa Cruz e do Campus Cedeteg. Então, por isso, a gente quis estender o questionário para as outra extensões”, salienta Bruna.

Para participar é muito fácil. Basta entrar no Sistema de Gestão Universitária (SGU), acessar o módulo “Aluno online” e buscar o link que direciona para pesquisas e votações. Estão convidados a participar acadêmicos do segundo ao quarto ano de todos os cursos oferecidos pela Unicentro, nos campi Santa Cruz e Cedeteg. O questionário segue aberto até o dia 31 de março.

Após a participação dos acadêmicos, o objetivo é realizar uma análise dos dados, como explica o professor Marcos Pelegrina, responsável pela Coordenadoria de Apoio ao Estudante. “Os dados serão sistematizados, vamos ter o diagnóstico do que está acontecendo, realmente, na Universidade – porque a gente ouve a denúncia, mas são coisas muito dispersas. Então, a gente vai ter um diagnóstico real, do que realmente acontece em sala de aula, nos ambientes da Universidade, para gente poder preparar uma política específica”.

São parceiros do na realização dessa pesquisa os Numapes (Núcleos Maria da Penha) Florescer e de Irati, o Departamento de Serviço Social da Unicentro e a Secretaria Municipal de Políticas Públicas para Mulheres de Guarapuava. Vale lembrar que, em dezembro 2017, o Numape Florescer promoveu, no Campus Santa Cruz, uma mesa-redonda para debater o assunto. Na ocasião foram discutidas as possibilidades de criação de um regulamento interno que pudesse estabelecer os trâmites para atendimento, registro, apuração e possíveis punições para casos de assédio no ambiente universitário.

Deixe uma resposta