Trabalho de Conclusão de Curso em Jornalismo é finalista em prêmio nacional de pesquisa

Trabalho de Conclusão de Curso em Jornalismo é finalista em prêmio nacional de pesquisa

Anualmente, pesquisadores de todo o Brasil e também da América Latina participam do Congresso Nacional da Intercom (Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares em Comunicação). Milhares de trabalhos científicos e também de cunho prático são apresentados nos Grupos de Pesquisa (GPs), 32 no total, que reúnem pós-doutores, doutores, doutorandos, mestres e mestrados; no Intercom Júnior (IJ), voltado para os estudantes de graduação e recém-formados, que contam com oito divisões temáticas; e na Expocom, a mostra experimental de trabalhos práticos desenvolvidos por estudantes das diversas habilitações da área da Comunicação, que agrega mais de 70 categorias.

Também anualmente, a Unicentro está representada no Intercom com a participação de professores do Departamento de Comunicação Social nos GPs, e de alunos de Jornalismo e de Publicidade e Propaganda tanto no IJ quanto na Expocom. A Universidade, por exemplo, só em 2016, conquistou três prêmios na fase nacional do Expocom. Agora, em 2017, a Instituição obteve uma conquista inédita. Pela primeira vez, a Unicentro tem um trabalho de pesquisa finalista de um dos prêmios outorgados, todos os anos, pela Intercom para trabalhos científicos apresentados em seu congresso.

Trabalho de Priscila foi considerado um dos três melhores num universo de mais de 400 artigos (Foto: Coorc)

Priscila Schran de Lima, egressa do curso de Jornalismo, é uma das três candidatas ao Prêmio Vera Giangrade, destinado à pesquisas desenvolvidas durante a graduação. O trabalho finalista – recorte do seu TCC (Trabalho de Conclusão de Curso), defendido em março de 2016 – tem como título “Gênero não! Poder e normalização nos discursos jornalísticos sobre o Plano de Educação do Paraná”, e foi orientado pela professora Ariane Pereira, do Departamento de Comunicação Social.

“Quando recebi a notícia de que estava entre os três finalistas para o Prêmio Vera Giangrande, eu fiquei em êxtase, de tanta felicidade. Sobretudo, por ter percebido que a pesquisa que eu realizei no Trabalho de Conclusão de Curso de Jornalismo teve uma repercussão dentro do universo dos pesquisadores de Comunicação do Brasil inteiro. Muita alegria, também, por conta do tema que eu debati. Pesquisei e analisei a cobertura jornalística do Plano Estadual de Educação quanto à questão do termo “gênero” ser retirado do texto do projeto de lei”, contou Priscila.

Todos os trabalhos inscritos e aprovados para apresentação em uma das oito Divisões Temáticas do Intercom Júnior são concorrentes potenciais. Em 2016, eram 456 nessa condição. Após a apresentação, o coordenador de cada IJ, a partir de avaliação dos debatedores presentes nas sessões, indica um dos trabalhos como classificado para o Vera Giangrande. Desse modo, passam para essa segunda fase oito trabalhos. O apresentado por Priscila foi o indicado pela Divisão Temática (DT) Interfaces Comunicacionais e, para isso, se destacou e foi considerado o melhor num universo de 98 trabalhos submetidos a essa DT específica.

Na sequência, os oito trabalhos classificados são avaliados por uma banca de doutores, com representantes de todas as regiões do país. Cada avaliador confere uma nota de zero a dez para cada trabalho e, então, é feita a média aritmética e definidos os três finalistas, que são os três artigos com as maiores média. Esses trabalhos voltam a ser avaliados durante o Pré-Congresso da Intercom desse ano, no dia cinco de setembro, na Universidade Positivo, em Curitiba. Nessa nova etapa, é formada uma nova banca de avaliação, dessa vez presencial.

“O trabalho desenvolvido pela Priscila tem muita qualidade e em várias perspectivas – a do olhar teórico, a da escolha e definição do tema, da análise apurada. É por isso que ela chegou até aqui e tem potencial para ir ainda mais longe. De todo modo, estar entre os três melhores do Brasil é uma grande conquista e um reconhecimento enorme”, comemorou a orientadora do trabalho, professora Ariane.

Além do Prêmio Vera Giangrade, voltado para trabalhos de graduandos e recém-formados, a Intercom tem ainda outros dois prêmios estudantis: o Francisco Morel, voltado para mestrandos, e o Freitas Nobre, destinado à doutorandos. A revelação dos ganhadores e a entrega dos prêmio estão marcadas para o dia sete de setembro, em atividade realizada durante o Congresso Nacional da Intercom.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *