Pesquisadoras paraguaias fazem mobilidade de curta duração na Unicentro

Pesquisadoras paraguaias fazem mobilidade de curta duração na Unicentro

Construir conhecimento de forma conjunta possibilita que uma área de estudos seja enriquecida com perspectivas plurais sobre um determinado assunto. A possibilidade de intersecção de olhares brasileiros e paraguaios na área ambiental foi delineada durante a mobilidade de três pesquisadoras da Pós-Graduação em Gestão Ambiental, da Universidade Nacional de Itapúa, do Paraguai. Elas passaram uma semana desenvolvendo atividades e participando do dia a dia do campus Irati da Unicentro.

Estivemos participando de aulas práticas em laboratórios, fizemos visitas técnicas a unidade de tratamento da Sanepar – tanto de esgoto quanto de água potável, fizemos coleta de insectos para aplicação de índices de qualidade da água, como macroinvertebrados, também fizemos una visita ao aterro sanitário de Guarapuava, e temos planejadas outras atividades como apresentações com os alunos, trabalhos como eles como alguns artigos, contar nosso trabalho de pesquisa na Universidad Nacional de Itapúa”, conta a doutoranda María Rosa Servín Nasich.

Entre as atividades em Irati, estava a apresentação das pesquisas realizadas pelas paraguaias (Foto: Coorc)

A pesquisadora Analía Cabrera García iniciou o mestrado este ano na universidade paraguaia e comentou que a experiência na Unicentro possibilita que suas percepções científicas sejam ampliadas. “É bom trocar informações, ver a maneira como se desenvolve e se faz as investigações e tratar de levar isto também ao Paraguay, à Universidad Nacional de Itapúa”.

O processo de mobilidade das estrangeiras na Unicentro foi de curta duração. Apesar de pouco tempo na universidade, a mestranda Lorna Ferreira Arce acredita que ter a oportunidade de participar de atividades no campus Irati agrega muito em conhecimentos. “As atividades que estamos fazendo são muito interessantes, algumas novas para nós porque não temos no Paraguai. É uma experiência muito bonita de enriquecimento do noso conhecimento”.

O intercâmbio foi intermediado pela Rede Zicosur Universitário, que busca fomentar a integração das universidades de cinco países sul-americanos – Brasil, Chile, Argentina, Bolívia e Paraguai. O coordenador da Pós-Graduação em Engenharia Sanitária e Ambiental da Unicentro, professor Carlos Magno de Souza Vidal, acompanhou as pesquisadoras durante a semana de mobilidade no campus Irati e elencou algumas potencialidades de pesquisa conjunta entre Brasil e Paraguai. “Eles têm lá sistemas para tratamento de esgoto muito parecidos com os nossos, que são as lagoas de estabilização. Então, eu vejo aqui que a gente pode contribuir com eles em sugerir alternativas para melhorar os sistemas deles lá e eles também podem estar trazendo novidades para a gente nesta área de saneamento”.

O professor Carlos também adiantou que a partir desse primeiro contato da Unicentro com a Universidade Nacional de Itapúa, outros intercâmbios poderão ser viabilizados. “A ideia é que a gente consiga fazer um convênio entre as duas instituições e tentar verificar se a gente consegue levar alunos nossos para lá, ficar um período lá, ou professores”, diz.

Avatar

Deixe uma resposta