Unicentro sedia reunião com Unitinerante, projeto encabeçado pela Casa Latino-Americana

Unicentro sedia reunião com Unitinerante, projeto encabeçado pela Casa Latino-Americana

O campus Cedeteg da Unicentro sediou o encontro de representantes de diversos setores da sociedade com a equipe do projeto “Universidade Itinerante pelos Direitos Humanos, da Natureza, pela Paz e o Bem Viver”, a Unitinerante. O projeto é idealizado pela Casla, a Casa Latino-Americana, e tem o apoio da Seti, que é a Superintendência de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior do Paraná. A ideia dessa proposta é incentivar ações desenvolvidas em comunidades e grupos em vulnerabilidade social, territorial ou ambiental.

Em Guarapuava, o objetivo da reunião, de acordo com Nicolas Floriani, coordenador-geral das atividades, foi convidar os segmentos sociais para integrarem o Parlamento Unitinerante. “Esse parlamento, essa instância é constituída por diversos atores, no intuito, então, de fazer um espaço de cooperação, de síntese daqueles projetos que têm essa intenção de levar o desenvolvimento local até essas comunidades de grupos menos favorecidos e desassistidos. Não se trata de inventar novas formas de desenvolver projetos”, explica. 

A reunião da Unitinerante na Unicentro foi viabilizada pelo professor Paulo Nobukuni, do Departamento de Geografia. Na ocasião, o professor aproveitou a oportunidade para apresentar um pouco do trabalho que vem desenvolvendo em parceria com a prefeitura em prol de famílias que vivem em situação de risco. “O meu trabalho”, conta Nobukuni, “é com pessoas que vivem em áreas inundáveis. Eu aproveitei esse pequeno conhecimento, humilde conhecimento, para insertar essa questão de moradia. Só que a gente defende que, ao invés de criar apenas habitações para fins de moradia, é necessário fazer esse aparato produtivo – as hortas, a fábrica de sabão -, porque esses moradores eles sabem mexer com isso. A gente quer um bairro que a gente está denominando de bairro total, que tenha a residência e ofereça condição das pessoas permanecerem ali naquele local”. 

Representantes da Unitinerante participaram de duas reuniões na Unicentro, uma com representantes do município e outra com os gestores da universidade (Foto: Coorc)

Além do professor Nobukuni, representantes de secretarias municipais, da Unicentro, da Superintendência Geral de Diálogo e Interação Social do Estado e do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Paraná também participaram da reunião. Mayquel Teixeira de Lima, que é fiscal da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, apresentou projetos já desenvolvidos no município que têm potencialidade para integrar a Unitinerante. “O meio ambiente dispõe de diversas propostas nessas áreas de qualidade social dessas moradias. Uma das propostas, por exemplo, é inserir o que é produzido com Selo Verde aqui em Guarapuava nas moradias. Outra coisa que a gente vem discutindo é a sustentabilidade”.

Outras cidades e universidades do estado já sinalizaram a adesão ao Parlamento. O próximo passo, de acordo com Nicolas Floriani, coordenador-geral da Unitinerante, é seguir convocando parceiros que tenham interesse em se integrar a proposta. A partir disso, será assinado o termo de adesão desses parceiros ao projeto. “A gente já encampou e engajou as prefeituras de Rebouças, Irati, Ponta Grossa, agora com essa nova reunião em Guarapuava temos sinalizadas intenções de cooperação. Com a assinatura do termo de adesão, vamos pleitear chamadas públicas para instalação de projetos pilotos nessas localidades, fazer com que esses atores convirjam e consensualizem a respeito dessas ações em favor dessas comunidades em situação de vulnerabilidade social”, diz Floriani. 

A expectativa, a partir da reunião em Guarapuava, é que o nosso município e a nossa universidade também se tornem parceiros do projeto, como destacou o professor Dimas Floriani, da Universidade Federal do Paraná, que também faz parte da equipe de coordenação da Unitinerante. “Nós observamos um engajamento muito interessante de professores, pesquisadores e representantes de instituições, inclusive, municipais, bem engajados com projetos comunitários. Então, a partir desses elementos, eu acredito que é possível estabelecer conexões, parcerias bastante interessantes”.

Avatar

Deixe uma resposta