Adau e Unicentro homenageiam Gracita Gruber Marcondes

Adau e Unicentro homenageiam Gracita Gruber Marcondes

Uma pessoa que tem sua história entrelaçada com a da Unicentro. Gracita Gruber Marcondes foi aluna, professora e dedicou parte do seu trabalho como historiadora para escrever sobre a cidade de Guarapuava e a universidade. A ex-docente foi homenageada pela Adau (Associação dos Docentes Aposentados da Unicentro), em conjunto com a própria instituição.

O presidente da Associação, Ronaldo Jorgensen, explica que a Adau homenageia todos os anos um dos professores aposentados, mas que nunca houve uma cerimônia tão grande quanto a da professora Gracita. “Surgiu a ideia de homenagear a professora Gracita pela idade dela – os 96 anos, ainda de uma inteligência espetacular – e pelo trabalho desempenhado por ela em toda a sua vida, principalmente em prol da história”, detalha.

O carinho e o reconhecimento pela professora Gracita fez com que o público lotasse a Sala de Eventos do campus Santa Cruz. A cerimônia de homenagem contou com apresentações musicais dos corais Opus III e Canta Unati, solos de gaita, voz, piano e saxofone. A homenageada aproveitou a oportunidade para lembrar fatos que fizeram parte da criação da Fafig, a Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Guarapuava, que posteriormente se tornou a Unicentro. “Em 16 de janeiro de de 1970 saiu o decreto presidencial, assinado pelo presidente da República Ernesto Gaspar Médice, criando a Fafig, que foi solenemente instalada. Fizemos uma festa de arromba”, rememora.

Homenagem é uma iniciativa da Adau (Foto: Coorc)

Professora desde os 15 anos de idade, Gracita é formada pela primeira turma de História da Fafig, instituição onde se tornou professora de nível superior e permaneceu até sua aposentadoria compulsória, ao completar 70 anos. Ela não esconde o amor pela instituição.Guarapuava deve muito para a Unicentro, porque é a cultura. Quanta gente não passa por aqui? A Unicentro é o sonho de todo guarapuavano e, graça a Deus, veio e floresceu essa universidade”.

Além de membros da comunidade acadêmica da Unicentro e integrantes da Adau, a família da professora Gracita foi convidada para a cerimônia. “Muito merecida essa homenagem, porque realmente ela foi como professora e como funcionária pública um baluarte”, avalia a dona Sulita Gruber Abreu, irmã de Gracita.

O reitor da universidade, professor Osmar Ambrósio de Souza, também reconhece a importância de contar com alguém como a professora Gracita na história da Unicentro. “É imensurável. A história da Gracita coincide com as histórias da Fafig e da Unicentro. É uma pessoa batalhadora. Nada mais justo que essa homenagem”.

Avatar

Deixe uma resposta