Mestrado em Biociências e Nanociências inicia as atividades

Mestrado em Biociências e Nanociências inicia as atividades

As atividades do Programa de Pós-Graduação em Nanociências e Biociências, aprovado pela Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior) no final do ano passado, já começaram. A primeira turma do mestrado conta com 12 alunos que desenvolvem pesquisas em duas linhas: “Avaliação e aplicação de materiais” e “Síntese, simulação e caracterização de sistemas nanoestruturados”. O início do período de formação foi marcado por uma confraternização. Momento em que os dirigentes da universidade e o coordenador do programa, Najeh Maissar Khalil, deram as boas-vindas aos novos mestrandos e reforçaram as expectativas quanto ao bom desenvolvimento das atividades. 

“Nós temos pesquisas ligadas à feridas, à nanotecnologia farmacêutica, à parte de magnetismo, enfim, são muitas pesquisas, são diferentes formas de pesquisas desenvolvidas pelos docentes. Então, as nossas expectativas são que os trabalhos consigam ser concluídos nos tempos e prazos previstos e que esses projetos possam desenvolver produtos e gerar trabalhos científicos o que, para o programa, é muito importante para sua avaliação”, explica Najeh.

Equipe da Unicentro recepcionou os 12 mestrandos (Foto: Coorc)

A proposta do programa é a formação de recursos humanos, visando à solução de problemas em Nanociências e Biociências. Por isso, a importância do desenvolvimento de pesquisas multidisciplinares e da interação entre estudantes e professores de diferentes áreas do conhecimento. Na conversa com os mestrandos, o reitor da Unicentro, professor Osmar Ambrósio de Souza, destacou a importância não só da produção científica, mas também da geração de produtos. “A produção de artigo é a moeda científica, mas, muito mais que artigo, é importante a produção de produtos, produtos tecnológicos. E a área de nanociências e biociências tem um potencial muito grande para desenvolver produtos novos, medicamentos novos, novas tecnologias e é isso que estimulamos e esperamos dos nossos alunos”, avalia. 

O pró-reitor de Pesquisa e Pós-Graduação da universidade, professor Marcos Ventura Faria, reforçou a relevância do programa para a região e, por isso, ressaltou que o comprometimento e a dedicação dos mestrandos será determinante para o sucesso das atividades. “Uma área de conhecimento bastante inovadora, uma temática bastante atual e que está nas prioridades da ciência e da tecnologia hoje. Então, isso é um diferencial grande e que tem poucos cursos nessa temática oferecidos no Paraná. Isso, para nós, é uma grande expectativa. Nós temos um corpo docente qualificado para dar conta dessa demanda e nós esperamos que os estudantes possam ter um envolvimento bastante grande com as propostas de projetos apresentados pelos seus orientadores, usufruir dos laboratórios e ter um conhecimento bastante adequado para que eles possam aprimorar sua atuação profissional e levar o nome da Unicentro adiante”.

Compromisso assumido pelos estudantes como a mestranda Bruna Muller. “O programa não é só feito pelos docentes. Então, os discentes têm bastante participação nisso e no programa também. Então, vai muito da gente produzir artigo, produzir resultado, trazer essa nova perspectiva, essa nanociência que está iniciando agora. Então, isso é muito importante partir de nós, discentes, esse comprometimento, essa dedicação com o programa para a gente produzir, trazer resultados para a população, para a sociedade. É isso que a gente deseja”.

A Unicentro está constantemente avançando no processo de verticalização. Por isso, a capacitação do corpo docente também é contínua. Nesse sentido, a soma do comprometimento dos alunos com o suporte oferecido pelos professores permite vislumbrar bons resultados e a possibilidade de que um doutorado na mesma área seja criado.

Avatar

Deixe uma resposta