Semana de Medicina Veterinária privilegia as práticas profissionais

Semana de Medicina Veterinária privilegia as práticas profissionais

A 16. Semana Acadêmica de Medicina Veterinária teve como objetivo permitir que os estudantes tivessem a oportunidade de aprofundar seus conhecimentos sobre os múltiplos segmentos de atuação do profissional da área. Para isso, a programação contou com minicursos e palestras, realizados em vários espaços do Campus Cedeteg. Segundo o coordenador do evento, o acadêmico Guilherme Possidonio, para além dos debates, a Semana possibilita que os alunos construam suas redes de contatos. “Você tem esse contato com pessoas de fora, eles vão fornecer um conhecimento específico sobre a área de atuação deles, os alunos vão ter a possibilidade de criar novos contatos. Então, esses palestrantes, muitas vezes, se tornam futuros orientadores ou pessoas que indicam um estágio curricular ou quem sabe um emprego no futuro”, avalia.

Toda a programação e realização das atividades é de responsabilidade do Centro Acadêmico Margarete Kimie Falbo, com o apoio do Departamento de Medicina Veterinária, chefiado mpelo professor Jayme Peres. Para ele, ter alunos atuando na organização de um evento é motivo de orgulho para o curso. “Todos os temas de palestras, temas de minicursos são escolhidos pelos alunos. Eles fazem uma pesquisa de demanda, de interesse, voltada para a nossa região e para nosso curso”.

Semana de atualização é provida pelos acadêmicos a partir das demandas dos próprios estudantes (Foto: Márcio Nei dos Santos)

Uma das temáticas apontadas pelos estudantes foi o câncer em animais. Por isso, uma das convidadas foi a professora Marilia Gabriele Ferreira, que ministrou a palestra “Oncologia em Cães e Gatos: mitos x medos”. “A ideia é justamente desmistificar a oncologia veterinária. Então, sempre que a gente ouve a palavra câncer, ela vem com um peso enorme em cima da palavra. A gente quer dar qualidade de vida para eles e, para isso, nós precisamos cada vez de mais profissionais preparados para lidar com esse tipo de situação: qual é o momento que eu tenho que parar, qual o momento que eu vou continuar, qual é o momento que eu vou indicar um especialista, indicar um tratamento específico”, explica.

Igor Dalgallo, do terceiro ano de Medicina Veterinária, participou das palestras e minicursos ofertados pela Semavu. Para ele, as atividades possibilitaram, aproximar os conhecimentos obtidos na Universidade com a prática profissional e, principalmente, abrem portas para o mercado de trabalho. “É bem interessante a gente ter o ponto de vista de como que o pessoal trabalha em outros lugares. O próprio professor que me deu o minicurso ontem, ele deixou aberto para a gente procurar fazer estágio curricular lá com eles – tanto de final de curso como em férias, ele aceita a gente lá. Isso é interessante”.

Para o presidente do Centro Acadêmico, Guilherme Possidonio, a reação dos participantes faz valer a penas a experiência com a organização de eventos. “A gente já recebeu alguns feedbacks dos colegas e, realmente, é interessante ver que o pessoal está aprendendo, que alguns estão abrindo os olhos para certas áreas e, quem sabe, isso pode ser o ponto inicial para sua carreira. Isso tem sido bastante gratificante”.

E os resultados do trabalho dos estudantes não se limitam às atividades da Semana Acadêmica. Os valores arrecadados com as inscrições são utilizados, pelos próprios alunos, para comprar, por exemplo, materiais para os laboratórios e ampliar o acervo da área disponibilizado pela Biblioteca da Universidade.

Deixe uma resposta