Unicentro promove audiência pública para debater a segurança nos arredores dos Campi

Unicentro promove audiência pública para debater a segurança nos arredores dos Campi

A direção do campus Santa Cruz organizou a Audiência Pública Segurança em Pauta, que teve como objetivo discutir a segurança nos entornos das instituições de ensino superior e também das escolas municipais, em especial na região do bairro Santa Cruz. A demanda surgiu após diversos episódios de crimes, como assaltos e roubos, que têm se tornado cada vez mais recorrentes.

O debate ocorreu em forma de mesa redonda e contou com a participação de representantes das instituições de ensino superior, da comunidade acadêmica, diretores dos campi da Unicentro, do reitor da Unicentro, do Conselho Comunitário de Segurança, da Prefeitura Municipal, do Corpo de Bombeiros, da Polícias Civil e Militar e do Ministério Público. “Nós entendemos que seria importante criar um evento para ser mais eficaz, efetivo, não só em discussões mas em tentativas de soluções para minimizar a criminalidade no entorno do Campus”, comentou o diretor do Santa Cruz, professor Ademir Fanfa Ribas, que foi o responsável pela mediação do debate.

Diferentes apontamentos foram feitos durante o debate no auditório Francisco Contini. As demandas vieram tantos dos debatedores, quanto da comunidade acadêmica, que acompanhou as discussões. Uma das principais reclamações diz respeito à falta de iluminação pública nos arredores dos campi da Unicentro. “É uma problemática recorrente, tanto no Cedeteg como no Santa Cruz e em Irati, essa questão da iluminação pública. Talvez, essa seja uma das principais reivindicações”, reiterou o presidente do Diretório Central do Estudantes, Enrique Raez Martinez.

Para o diretor do Campus Santa Cruz, haverá um trabalho para que essa e outras reivindicações possam ser solucionadas em breve. Além disso, o professor Ademir Fanfa Ribas também destacou a importância de manter o debate sobre este assunto para que as ações sejam mais efetivas. “O bacana deste debate é que ele foi construído por todos que estavam aqui. O Campus não tem uma fórmula mágica, na verdade, ninguém tem. E hoje ficou muito claro isso. Vamos trabalhar para investir na melhoria da iluminação, que é importante; vamos investir na nossa vigilância, nos nossos vídeos, que são importantes; pedimos para a Prefeitura para podar as árvores, para melhorar a iluminação, que também é importante”, destacou.

Comunidade lotou Auditório para discutir a insegurança nos arredores de universidades e faculdades (Foto: Mariana Valente)

Já para a Polícia Militar, um evento como o organizado pela Unicentro é muito importante justamente porque trabalha com medidas de educação, que ajudam na efetividade do combate à violência. “Trabalhamos, realmente, primeiramente com o combate, que foi o aumento do policiamento; e, posteriormente, com a educação preventiva a todos os universitários e comunidade, começando, inclusive, pelos professores. Tudo isso para que possamos orientar e controlar esse tipo de crime, bem como identificar as pessoas que causam este mal tão grande aqui a Universidade e aos seus alunos”, disse o subcomandante do 16º Batalhão, major Gilmar Santana.

A expectativa é de que a partir das discussões promovidas pela Audiência Pública Segurança em Pauta, novas conversas possam ser promovidas para tornar o debate continuo, não só na Unicentro, mas em todas instituições de ensino da cidade.

Deixe uma resposta