Centro de Convivência é alternativa para momentos de lazer no campus Irati

Centro de Convivência é alternativa para momentos de lazer no campus Irati

A comunidade universitária do Campus Irati conta, agora, com um novo espaço: o Centro de Convivência. Há quatorze anos, o projeto foi idealizado pela Reitoria da Unicentro. O processo começou a ganhar vida com a construção do prédio, que teve início, em 2013, com recursos da Secretaria Estadual de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Seti).

O reitor da Unicentro, Aldo Nelson Bona explica que a construção do Centro de Convivência em Irati demorou um pouco mais por uma série de fatores, como: a questão dos recursos; da definição do espaço onde seria construído; o processo licitatório em si, e depois, a infraestrutura do entorno para possibilitar o acesso ao prédio.

Quando o professor Vitor Hugo Zanette era reitor da Universidade, eu estava como vice-reitor, nós traçamos em conjunto esta ideia. Desde lá, são praticamente 14 anos em que esse processo vem caminhando nessa direção. Nós, de fato, desejamos e esperamos que a comunidade acadêmica utilize como um espaço de convivência, de debate, de troca de ideias, que possam ser realizados eventos e exposições artísticas. Ou seja, que esse ambiente seja utilizado para o bem da comunidade acadêmica”, destaca Aldo.

O Centro de Convivência está localizado entre o Prédio Principal e o Restaurante Universitário. Segundo o diretor do campus, professor Afonso Figueiredo Filho, além do acesso que ganhou asfalto, equipes da manutenção do campus executaram outros serviços no entorno, como a construção de escadas e paisagismo. “O nosso pessoal é muito criativo porque esse acabamento foi feito a partir de material doado. É um investimento pequeninho, mas com um pessoal dedicado que gosta do que faz e faz bem feito”, complementa.

Em julho, uma cerimônia foi realizada para oficializar a inauguração e contou com a presença do prefeito de Irati, Jorge Derbli, que, na ocasião, renovou convênio do programa “Irati UniverCidade Olímpica” (Foto: Marina Lukavy)

O acadêmico do primeiro ano de Engenharia Florestal, João Francisco dos Santos de Quadros aprova o novo ambiente. “Sempre é bom ter um espaço a mais, tanto para ficar com os amigos, até mesmo para fazer um lanche. Aqui também tem um diferencial que é a cobertura. Então, nos dias de chuva, geralmente, eu venho até aqui com meus amigos. É um ambiente bem agradável e necessário sim para o campus”.

O Centro de Convivência também é mais uma alternativa de espaço de lazer para quem passa o dia todo no campus, como a Flávia Massuga, que durante o dia trabalha no Departamento de Engenharia Ambiental, e a noite frequenta as aulas no curso de Administração. “Eu achei muito bacana a criação do Centro de Convivência aqui no campus, principalmente, por eu ficar o dia todo aqui, sou tanto funcionária, como aluna. É um ambiente a mais, que tem opções de lanche e onde você pode encontrar os amigos nas horas vagas. Ficou bem interessante para a comunidade universitária e vai ser muito útil para todos”, ressalta Flávia.

Equipes da manutenção do campus construíram escadas e fizeram o paisagismo no entorno (Foto: Edson Golinski)

Uma cerimônia foi realizada, no mês de julho, para oficializar a inauguração do Centro de Convivência e integrou as comemorações pelos 27 anos da Unicentro. O vice-diretor do campus Irati, Erivelton Fontana de Laat acrescenta que a destinação de uso do Centro foi decidida junto a comunidade universitária. “Numa discussão do Conselho de Administração do Campus foi definida realmente a finalidade do espaço. Existiam várias propostas, mas junto a agentes universitários, professores e alunos, definimos que o espaço maior (com mesas e cadeiras), é o espaço da convivência e pertencente a universidade. Há também a lanchonete, que é um local licitado junto com os banheiros, e que fica para os lanches, café e tudo mais aquilo que o Restaurante Universitário não consegue dar conta. Acredito que toda a comunidade acadêmica vai utilizar esse espaço para fazer a interação que é necessária dentro do ambiente universitário”, conclui Erivelton.

Deixe uma resposta