Livro sobre ministros da economia brasileiros tem capítulo redigido por professor da Unicentro

Livro sobre ministros da economia brasileiros tem capítulo redigido por professor da Unicentro

O professor Claucir Roberto Schmidtke, do Departamento de Economia da Unicentro, é o autor de um dos capítulos da coletânea “Os homens do cofre – O que pensavam os ministros da Fazenda do Brasil Republicano (1889 – 1985), organizada por Ivan Colangelo Salomão e publicada pela Editora da Unesp, que é a Universidade Estadual Paulista. A obra procura retratar como o Ministério da Fazenda, ao longo de quase um século, buscou – a partir dos homens que estiveram a frente da pasta – o desenvolvimento. “O livro ‘Os homens do cofre: o que pensavam os ministros da Fazenda do Brasil Republicano (1889-1985)’ destaca o pensamento econômico e a atuação de 17 ministros da Fazenda, que ocuparam o cargo no período destacado”, complementa Claucir.

O capítulo redigido pelo pesquisador da Unicentro aborda o pensamento de Artur de Souza Costa, que foi ministro da Fazenda durante o governo de Getúlio Vargas, entre julho de 1934 e outubro de 1945.Segundo o docente, Souza Costa foi uma fonte importante na construção de sua tese de doutorado em Economia, que focava a política econômica realizada pelo governo Vargas durante o Estado Novo. “A denominação do capítulo é ‘Artur de Souza Costa: política econômica em tempos de crise e guerra’. O subtítulo sugere os desafios enfrentados pelo ministro. É importante destacar que Artur de Souza Costa foi o mais longevo ministro da Fazenda da história do Brasil e foi personagem central da economia brasileira durante a era Vargas, período marcado pela grande depressão e pela Segunda Guerra Mundial”.

Além do pensamento econômico e da atuação de Souza Costa no Ministério da Fazenda, o capítulo também apresenta uma breve biografia dele. “Em termos de importância, no geral, o livro contribui para o conhecimento acerca da evolução do pensamento econômico do Brasil. De forma específica, o leitor poderá observar que as percepções acerca de Souza Costa foram marcadas,  principalmente, para análise de seus discursos, tendo em vista a escassez de informações acerca do ministro. Diante disso, o capítulo colabora com a literatura no objetivo de trazer conhecimento acerca daquele que foi personagem central da economia brasileira durante a era Vargas”.

O livro já está sendo vendido e conta, além dos capítulos sobre os ministros da Economia, com prefácio assinado por Antônio Delfim Netto, que foi ministro da Fazenda de 1967 a 1974.

Deixe uma resposta